grevecaminhoes
Brasil Anistia Internacional condena uso das Forças Armadas em protestos

Anistia Internacional condena uso das Forças Armadas em protestos

Convocação e autorização nacional para uso das forças armadas nos protestos é inadmissível, diz Anistia Internacional

Anistia Internacional condena uso das forças armadas em protestos

Anistia Internacional critica uso das forças armadas contra protesto de caminhoneiros

Anistia Internacional critica uso das forças armadas contra protesto de caminhoneiros

Felipe Rau/Estadão Conteúdo 25/05/2018

 A Anistia Internacional divulgou nota na noite desta sexta-feira (25) em que critica a convocação e autorização pelo presidente Michel Temer do uso das Forças Armadas para desocupar as rodovias obstruídas por caminhoneiros em todo o país.

Alexandre de Moraes autoriza uso da força para liberar rodovias

"O papel das Forças Armadas não é atuar em protestos, manifestações e greves. A liberdade de expressão e manifestação são um direito humano", diz a nota.

Greve ou locaute? Como a paralisação pode ser chamada

Para a Anistia Internacional, as autoridades e os caminhoneiros deveriam insistirt na negociação para solicionar os impasses. A organização para também para o risco da violência.

" Enviar as Forças Armadas é grave erro e pode levar a uma escalda da violência. Além disso, o precedente de convocação e autorização para que as Forças Armadas atuem nacionalmente é mais um passo inadmissível no caminho da militarização da gestão das políticas públicas," afirma Jurema Werneck, diretora executiva da Anistia Internacional no Brasil.

A organização também pede que o governo federal recue na sua decisão e que os governos estaduais não lancem mão das Forças Armadas para atuar em protestos e manifestações.