Apartamento liga dinheiro da Oi à família de Lula, diz jornal

Reportagem veiculada neste domingo (14) pela Folha de S. Paulo mostra documentos da Lava Jato que ligam empresa a familiares do ex-presidente

Apartamento liga dinheiro da Oi ao Lulinha, filho do ex-presidente Lula

Apartamento liga dinheiro da Oi ao Lulinha, filho do ex-presidente Lula

ALEX SILVA/ESTADÃO CONTEÚDO

Um apartamento de luxo, localizado na região nobre da zona sul de São Paulo, é apontado pela Lava Jato como um dos principais indícios de que o empresário Jonas Suassuna usou dinheiro de contratos com a Oi para beneficiar a família do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), afirma reportagem do jornal Folha de S. Paulo neste domingo (14).

O imóvel comprado por Suassuna, dono do Grupo Gol, por R$ 3 milhões (R$ 1,9 milhão de entrada e o resto parcelado) em 2009 e, depois, reformado e mobiliado ao custo de R$ 1,6 milhão, segundo estimativa da Polícia Federal. Posteriormente, em 2013, o apartamento teria sido alugado por Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha.

Leia mais: MPF liga ex-secretário de Paes a sócio de filho de Lula

A reportagem descreve o imóvel, que ocupa sozinho o 23° andar de um dos dois edifícios do condomínio Hemishpere, na região do Ibirapuera, e conta com três suítes, terraço gourmet, escritório, cozinha, sala de estar e de almoço.

A PF desconfia, diz o texto, que tanto o apartamento quanto o terreno em Atibaia “foram comprados com dinheiro de contratos comerciais feitos sem lógica econômica, uma facada para dar aparência legal às transferências”.

O apartamento em questão foi alvo, em 2016, da 24ª fase da Lava Jato, batizada de Aletheia. Informações requeridas a partir desta ação foram justificadas na operação Mapa da Mina, última deflagrada pelo órgão, que tem Lulinha como alvo.

Veja também: Bolsonaro imita Lula ao vetar projeto sobre infância

O jornal aponta, também, as dúvidas da PF: antes de escolher a planta do apartamento, Suassuna mandou um e-mail sobre o assunto a Lulinha, além de eletrodomésticos usados pelo filho do ex-presidente tenham sido comprados pelo dono do apartamento.

O imóvel é descrito pela PF como “residencial de alto padrão” e que “possui localização privilegiada, com predomínio de imóveis residenciais”. Já o condomínio “possui ampla estrutura de lazer, dispondo de academia, longe, quadra poliesportiva, piscinas coberta e descoberta, sala de recreação, dentre outros ambientes”.