Após exames, Bolsonaro confirma que vai à reunião da ONU

Presidente deve discursar na abertura da Assembleia Geral, em Nova York, na próxima terça-feira (24); ele será reavaliado pelos médicos em sete dias

Bolsonaro fez quarta cirurgia após facada

Bolsonaro fez quarta cirurgia após facada

Marcos Corrêa/PR - 4.9.2019

O presidente Jair Bolsonaro confirmou na manhã desta sexta-feira (20) que irá à Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova York, que ocorrerá a partir de terça-feira (24). Ele foi submetido a exames em Brasília, no Hospital DF Star, e foi constatado que ele tem condições de fazer a viagem na semana que vem.

O presidente chegou ao hospital às 9h10 e os exames, com os mesmos profissionais que o atenderam durante a última internação em São Paulo, duraram menos de uma hora. Segundo o boletim médico, assinado pelo cirurgião chefe Antônio Luiz de Vasconcellos Macedo, Bolsonaro está em "excelentes condições" e será reavaliado novamente em sete dias.

Bolsonaro deve seguir a tradição brasileira de fazer os discursos de abertura da Assembleia Geral da ONU. Neste ano, o país deve ser bastante cobrado por líderes mundiais por causa das queimadas na Amazônia.

Leia também: Discurso de Bolsonaro na ONU vai tratar de política ambiental

Em sinal de melhora, o presidente vai participar de um evento no Palácio do Planalto na tarde desta sexta para sanção da Medida Provisória da Liberdade Econômica. Nos últimos quatro dias, ele despachou do Palácio da Alvorada, uma das residências oficiais da Presidência.

Veja mais: Bolsonaro faz ajustes no discurso com Araújo, Eduardo e Heleno

Leia o boletim médico desta sexta:

O Hospital DFStar informa que o Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, foi submetido à avaliação médica multiprofissional, na manhã desta sexta-feira, 20. 

O Presidente encontra-se há quatro dias da alta hospitalar, em excelentes condições clínico/ cirúrgicas, tendo sido liberado para dieta leve. Programada reavaliação em sete dias. 

Quarta cirurgia

Bolsonaro foi submetido a uma cirurgia no domingo (8) para retirada de hérnia incisional em uma das cicatrizes de operação anterior. Foi a quarta cirurgia do presidente desde a facada durante campanha em Juiz de Fora (MG), há pouco mais de um ano.

Ele deixou o hospital na segunda-feira (16).

Questionado se o presidente tem outro problema de saúde que atrasa a recuperação, o médico Antonio Macedo afirmou que "em todas as cirurgias que fizemos, houve um retardo na recuperação, mas, quando ele retorna, vai rápido".