Brasil Após pedir para sair do PP, Bolsonaro admite negociações com partido de Levy Fidelix

Após pedir para sair do PP, Bolsonaro admite negociações com partido de Levy Fidelix

Deputado fala que partido "traiu suas convicções" e cogita ser candidato à Presidência

Após pedir para sair do PP, Bolsonaro admite negociações com partido de Levy Fidelix

Bolsonaro diz ter tirado mil fotos em protesto na avenida Paulista

Bolsonaro diz ter tirado mil fotos em protesto na avenida Paulista

Reprodução/Facebook

Dois dias após ter uma tarde de celebridade no protesto contra o governo em São Paulo, o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) anunciou que já pensa em disputar a Presidência da República em 2018. Ele falou com exclusividade ao R7, nesta terça-feira (14), logo depois de ter solicitado a desfiliação ao PP, partido no qual está há dez anos.

O parlamentar solicitou ao presidente da sigla, senador Ciro Nogueira, que mantenha o mandato dele até que se filie a outro partido.

— Alguns pequenos partidos já acenaram para mim. Mas essas coisas são como quando você tem uma separação. Não pode já partir para um casamento de imediato.

Bolsonaro admitiu, porém, já ter sondado o PRTB, cujo presidente, Levy Fidelix, compartilha de algumas opiniões parecidas com as dele. Nas últimas eleições, por exemplo, o deputado federal defendeu o então candidato à Presidência, após Fidelix se envolver em uma polêmica com um discurso contra homossexuais.

— O PRTB foi um partido que deu uma piscadela. Estamos naquela fase que nem pegamos na mão ainda para namorar. O PTC também sinalizou para conversar. O Partido Militar do Brasil também, que está na iminência de se tornar um partido de verdade. O problema lá é que não tem [tempo de] televisão.  Mas eu não preciso de recursos.

O político afirma ter tirado mais de 1.000 fotos com simpatizantes no protesto de domingo (12), na avenida Paulista. Diferente do que aconteceu no Rio, em outro ato no mês passado, quando ele chegou a ser vaiado. Ele diz que o carinho dos paulistas demonstra uma ausência de representantes que pensem como essas pessoas.

— Eu tenho simpatia por evangélicos, Forças Armadas, aqueles que querem reduzir a maioridade penal, os que entendem a necessidade de uma política de planejamento familiar, outros que já chegaram à consciência do crime que são as demarcações de terras indígenas no País.

Questionado sobre alguns pedidos que ouviu na Paulista, para que se torne candidato a presidente, o parlamentar diz que não descarta a ideia, mas que vai discutir, em um momento oportuno, com o novo partido.

— Tem partido pequeno que me quer porque eles sabem que eu possa não chegar, mas posso ter força para um segundo turno e tal e ter uma boa bancada.

Sobre a saída do PP, o parlamentar nega ressentimentos, mas disse que desde a última convenção tem discordado dos rumos do partido.

— O PP traiu todas suas convicções. Em troca de quê? Não sei. O nosso partido, lamentavelmente, ficou aí apoiando incondicionalmente o PT e está pagando um preço muito alto. Nem todos os nomes que estão no Supremo agora vamos dizer que são culpados [na Lava Jato]. Mas os indícios são muito robustos de que teve coisa errada. 

Bolsonaro é condenado a pagar multa de R$ 150 mil por declarações homofóbicas

Multa

Bolsonaro ainda falou que pretende recorrer da condenação judicial por declarações homofóbicas.  A juíza Luciana Santos Teixeira, da 6ª Vara Cível do Fórum de Madureira, determinou que ele pague R$ 150 mil por danos morais. O dinheiro deve ser destinado ao Fundo de Defesa dos Direitos Difusos. Ele disse que pagaria “se estivesse errado”.

— A juíza fez igual aquele juiz de futebol que pelo conjunto da obra dá um cartão amarelo para o jogador. [...] Ela se precipitou. Eu não vou desqualificar a juíza. Ela tomou a decisão dela. Mas nós temos uma segunda instância, que é o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, com desembargador, mais idoso, entende mais.