Bancada do PSDB na Câmara decide continuar no governo Temer

Apesar de apoio à base, presidente da sigla disse que denúncias contra Temer são "gravíssimas"

Bancada do PSDB na Câmara decide continuar no governo Temer

PSDB continuará acompanhando os desdobramentos da crise política "de hora em hora", disse o senador Tasso Jereissati (CE)

PSDB continuará acompanhando os desdobramentos da crise política "de hora em hora", disse o senador Tasso Jereissati (CE)

André Dusek/12.03.2016/Estadão Conteúdo

A bancada do PSDB na Câmara dos Deputados se reuniu nesta quarta-feira (24) com o presidente nacional do partido, senador Tasso Jereissati (CE), para discutir o apoio ao governo Michel Temer, atingido diretamente pela delação de executivos da JBS. Após mais de três horas de conversa, a bancada anunciou que continua na base do governo e não vai tomar decisões que agravem a crise brasileira.

"A nossa preocupação é ter estabilidade, calma e não afetar ainda mais o momento de tremenda fraqueza que as instituições estão passando. Toda nossa movimentação é no intuito de diminuir e resolver a crise, sem desconhecer os gravíssimos acontecimentos. Esse foi um consenso dentro da bancada", defendeu Jereissati.

Apesar disso, o presidente do partido enfatizou que a legenda continuará acompanhando os desdobramentos da crise política "de hora em hora" e admitiu que as denúncias que desestabilizaram o governo Temer são "gravíssimas".

Sem mencionar a PEC das eleições diretas, ele rechaçou ainda qualquer possibilidade do partido sair da Constituição. "Nós vamos nos apegar à letra da Constituição. Isso é fundamental. Não vamos sair da Constituição um minuto sequer", disse o tucano.

Além de Tasso Jereissati, participaram da reunião 41 deputados tucanos, o ministro das Cidades, Bruno Araújo (PE), o senador Cássio Cunha Lima (PB) e o presidente do Instituto Teotônio Vilela, José Aníbal.