STF

Brasil Barroso suspende a condução coercitiva de Wizard à CPI

Barroso suspende a condução coercitiva de Wizard à CPI

A defesa do empresário também pediu a devolução do passaporte, mas o ministro do STF disse que ainda vai analisar a solicitação

  • Brasil | Clébio Cavagnolle, da RecordTV

Ministro Roberto Barroso durante sessão administrativa do STF

Ministro Roberto Barroso durante sessão administrativa do STF

Nelson Jr./SCO/STF - 18.03.2020

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal), suspendeu nesta sexta-feira (258) a condução coercitiva do empresário Carlos Wizard para prestar depoimento à CPI da Covid. A defesa do empresário também pediu a devolução do passaporte, mas o ministro afirmou que vai analisar essa solicitação oportunamente.

Wizard é suspeito de integrar o chamado gabinete paralelo, grupo de pessoas que não compõem o governo Jair Bolsonaro e que estariam propondo ao presidente a adoção de medidas que contrariam consensos científicos no enfrentamento à pandemia de coronavírus.

O depoimento do empresário estava marcado para a quinta-feira (17), mas ele faltou. A Polícia Federal tentou fazer a condução coercitiva do empresário, determinada pela Justiça após pedido da CPI, mas não o encontrou na sua casa, em Campinas. Depois, o ministro Luís Roberto Barroso concedeu a condução coercitiva, além da apreensão do passaporte do empresário, que estava viajando aos Estados Unidos. Wizard passou a integrar a lista de investigados da comissão.

"De fato, tendo em vista que o paciente assumiu o compromisso expresso de comparecer perante a CPI referida, tenho por injustificada e desnecessária, neste exame cautelar da causa, a manutenção da ordem de condução coercitiva do paciente. Quanto ao pedido relativo ao passaporte, apreciarei oportunamente", afirmou o misnistro na decisão.

Em outra decisão nesta sexta-feira sobre pedidos de quebra de sigilo pela CPI da Covid do Senado, o ministro Dias Toffoli suspendeu liminar de quebra de sigilo bancário e fiscal da empresa Aspen Farmacêutica S/A, mas não os dados telefônicos e telemáticos.

Últimas