Eleições 2018
Brasil Barroso vota pela rejeição do registro da candidatura de Lula

Barroso vota pela rejeição do registro da candidatura de Lula

Relator do processo no Tribunal Superior Eleitoral disse também que o PT tem dez dias para substituir Lula por Fernando Haddad como candidato à Presidência

Barroso vota pela rejeição do registro da candidatura de Lula

Barroso

Barroso

Ueslei Marcelino/Reuters - 7.3.2018

 O relator do pedido de registro do ex-presidente Lula como candidato à Presidência da República, o ministro Luís Roberto Barroso, votou pelo indeferimento da candidatura. Para o ministro Barroso, o ex-presidente Lula seria inelegível mesmo que estivesse solto por força de condenação.

TSE aprova candidatura de Haddad como vice na chapa de Lula

"Eventual suspensão da execução penal não teria repercussão no plano eleitoral", disse o ministro. Em seu voto, Luís Roberto Barroso defendeu a Lei da Ficha Limpa no plenário do TSE. Barroso deixou claro: "A Ficha Limpa não foi golpe", ao contrário do que defendem alguns militantes favoráveis ao petista."Ela (a Lei da Ficha Limpa) foi fruto de grande mobilização popular em torno do aumento da moralidade e da probidade na política. Foi o início de um processo profundo e emocionante na sociedade de demanda por patriotismo", disse. Avisou também que a Corte não está ali reunida para decidir sobre "a culpabilidade ou não do ex-presidente Lula" nem em julgar seu legado político.

Lava Jato cobra R$ 31 milhões de Lula no caso triplex

Para Barroso, a recomendação do comitê da ONU quanto ao direito de elegibilidade não pode ser aceita. O ministro reforçou que não é plausível o argumento de que Lula sofre perseguição política. Ele afirmou que decisão da ONU foi proferida sem prévia oitiva do Estado brasileiro.Barroso reforçou que a Justiça não está submetida a cumprir orientações de comitês da ONU