BC reduz previsão de crescimento da economia brasileira em 2019

Em relatório trimestral, instituição projeta que PIB (Produto Interno Bruto) se expanda 2%; levantamento anterior estimava 2,4%

Banco Central

Inflação deve ficar em 1,45% entre janeiro e março

Inflação deve ficar em 1,45% entre janeiro e março

Pixabay

O novo Relatório de Inflação do Banco Central, divulgado nesta quinta-feira (28), traz uma projeção menor para o crescimento da economia em 2019 do que o anterior, de dezembro de 2018. Segundo a instituição, o PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro deve se expandir 2%. A última estimativa havia sido de 2,3%.

O relatório, que é atualizado trimestralmente, cortou em 1 ponto percentual a previsão de crescimento do setor agropecuário, que era de 2%.

"O recuo na projeção reflete reduções em estimativas para a safra agrícola de 2019, com destaque para a menor produção esperada para soja, item com o maior peso da agricultura, devido à estiagem ocorrida em importantes regiões produtoras", diz o documento.

Ainda houve corte em relação à produção industrial — de 2,9% para 1,8%. Um dos componentes é a queda da indústria extrativista, que deve ser afetada pela tragédia em Brumadinho.

O segmento que deverá registrar a maior alta é o de serviços: 2%. As expectativas se mantiveram praticamente inalteradas.

Inflação

O boletim também prevê, entre vários cenários, uma inflação de 1,45% no trimestre entre janeiro e março, que seria "acima da variação atipicamente baixa observada no mesmo período de 2018 (0,71%), implicando elevação da inflação acumulada em doze meses, de 3,89% em fevereiro de 2019 para 4,65% em maio".