Bolsonaro chama reunião e deve orientar Weintraub a não depor

Encontro vai discutir reação às medidas do STF após a operação da Polícia Federal que teve como alvos blogueiros e empresários apoiadores 

O presidente Jair Bolsonaro, que convocou reunião de ministros

O presidente Jair Bolsonaro, que convocou reunião de ministros

EFE/ Joédson Alves - 27/05/2020

O presidente Jair Bolsonaro convocou para a tarde desta quarta-feira (27) uma reunião extraordinária de ministros no Palácio do Planalto. O encontro vai discutir uma reação às medidas do STF (Supremo Tribunal Federal) após a operação da Polícia Federal que teve como alvos blogueiros e empresários apoiadores do presidente.

Leia também: Procurador-geral pede suspensão do inquérito das fake news ao Supremo

Uma das possibilidades que serão discutidas no encontro é a recusa do ministro da Educação, Abraham Weintraub, de comparecer ao depoimento que foi convocado para esclarecer ataques que fez a ministros da Corte. A proposta será levada pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e discutida pelos ministros da área jurídica.

Em reunião com o presidente e outros ministros no dia 22 de abril, Weintraub disse que, se dependesse dele, “botava esses vagabundos todos na cadeia, começando no STF”. O ministro terá agora cinco dias para prestar depoimento à Polícia Federal (PF).

O depoimento foi determinado pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF, no âmbito do inquérito que apura ameaças, ofensas e fake news disseminadas contra integrantes do Supremo e suas famílias. É a mesma investigação em que a PF realizou a operação desta quarta-feira.