Brasil Bolsonaro comemora insumos da China para Brasil fazer CoronaVac

Bolsonaro comemora insumos da China para Brasil fazer CoronaVac

Após Doria dizer que Planalto em nada ajudou na negociação com país asiático, presidente celebra carta do governo chinês no Twitter

  • Brasil | Do R7

CoronaVac é fabricada pelo Instituto Butantan em parceria com a Sinovac, da China

CoronaVac é fabricada pelo Instituto Butantan em parceria com a Sinovac, da China

Amanda Perobelli/Reuters

Em meio a uma disputa de narrativas entre o governo de São Paulo e o federal sobre quem foi o responsável para convencer a China a liberar os insumos para a fabricação da CoronaVac, o presidente Jair Bolsonaro usou as redes sociais para comemorar o feito.

Bolsonaro diz que matéria-prima de vacina chegará nos próximos dias

Praticamente um dia depois de a conta oficial de o Planalto divulgar, na integra, a carta do governo chinês confirmando o envio de insumos para a vacina contra a covid-19, o presidente postou um emoji (figura para demonstrar reações) com um aperto de mãos.

A reação de Bolsonaro se deu após o governo do estado de São Paulo, de João Doria (PSDB), afirmar que toda a negociação foi realizada pelo Instituto Butantan e pela gestão paulista desde maio do ano passado.

Doria havia contestado, por meio de sua assessoria e também pelas redes sociais, a versão do Palácio do Planalto, nesta segunda-feira.

O texto do governo paulista diz que o governo federal não teve participação na liberação de insumos chineses para a vacina. "Não é verdade o que disse o Presidente Bolsonaro em redes sociais, de que a importação de insumos da China foi uma realização do Governo Federal", diz a nota. 

Foram liberados 5.400 litros de insumos.

Acordo para liberar insumos da China foi feito por SP, diz Doria

"Esta negociação é continua e nunca foi interrompida, mesmo quando o Governo Federal através do presidente da República anunciou publicamente em mais de uma ocasião, que não iria adquirir a vacina por causa de sua origem chinesa. Neste período, um total de 4 lotes de vacinas e insumos foram recebidas pelo Governo de SP sem nenhuma participação do governo Bolsonaro", afirma o governo paulista.

Nesta terça-feira (26), às 10h30, o governador João Doria se reúne com o embaixador chinês Yang Wanming no Palácio dos Bandeirantes e, em seguida, concede entrevista coletiva para detalhar a logística de importação dos insumos para o Brasil, prevista para ocorrer ainda nesta semana.

Últimas