Bolsonaro condecora Weintraub e Aras com Ordem de Mérito Naval

Ministro da Educação é alvo de um inquérito aberto a pedido do STF por ter feito ofensas aos ministros da Corte em reunião ministerial de 22 de abril

Bolsonaro homenageia ministro alvo de ação

Bolsonaro homenageia ministro alvo de ação

Joédson Alves/EFE

O presidente Jair Bolsonaro concedeu nesta sexta-feira (29) a Ordem do Mérito Naval, no grau de Grande Oficial, para três ministros de Estado. Entre eles, o chefe da pasta da Educação, Abraham Weintraub, que está na mira da Procuradoria-Geral da República (PRG) por suposto crime de preconceito em publicação contra a China nas redes sociais. O Procurador-Geral da República, Augusto Aras, também recebeu a condecoração.

A homenagem a Aras é dada após o presidente afirmar nesta quinta-feira que daria uma vaga ao procurador para o Supremo Tribunal Federal (STF). Também foram condecorados os ministros Marcelo Álvaro Antônio (Turismo) e Jorge Oliveira (Secretaria de Governo).

Após a declaração nas redes sociais, a PGR atendeu requerimentos do PSOL e pediu ao Supremo Tribunal Federal a abertura de um inquérito para investigar o ministro Weintraub,. Ele também terá que prestar esclarecimentos à Polícia Federal por causa das declarações sobre a Suprema Corte na reunião ministerial do dia 22 de abril.

Em relação a Aras, Bolsonaro disse em "live" nesta quinta que "se aparecer uma terceira vaga, espero que ninguém ali desapareça, para o Supremo, o nome de Augusto Aras entra fortemente". O presidente afirmou que Aras tem uma "atuação excepcional".

No mandato, o presidente poderá indicar dois nomes para o STF para preencher as vagas dos ministros Celso de Mello e Marco Aurélio de Mello, que vão se aposentar.

O aceno de Bolsonaro acontece no momento em que Aras pode denunciar o presidente no âmbito do inquérito que tramita na Suprema Corte e investiga se o chefe do Executivo interferiu na Polícia Federal para proteger família e amigos.

Em outra ação relacionado ao governo, o procurador demonstrou um gesto de apoio e pediu ao ministro do STF Edson Fachin a suspensão do inquérito que investiga a produção de informações falsas. O pedido aconteceu após a Polícia Federal ter realizado operação de busca e apreensão contra apoiadores do governo.

Pelo decreto publicado no Diário Oficial da União, o presidente também homenageou representantes de embaixadas, ministro do Tribunal Superior do Trabalho e parlamentares da base do governo no Congresso. Entre eles, os deputados federais Hélio Lopes (PSL-RJ) e Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL-SP).

A Ordem de Mérito Naval foi criada em 1934 pelo então presidente da República Getúlio Vargas. A homenagem é destinada a militares da Marinha e, excepcionalmente, corporações militares, instituições civis e personalidades civis e militares que tenham prestados serviços relevantes à Marinha.