Jair Bolsonaro

Brasil Bolsonaro convida presidentes do Congresso e STF para desfile militar

Bolsonaro convida presidentes do Congresso e STF para desfile militar

Comboio das Forças Armadas, que coincidirá com análise do voto impresso, gerou reação do Congresso por suposta intimidação

Seguidas ameaças de Bolsonaro às eleições geraram reações do Congresso

Seguidas ameaças de Bolsonaro às eleições geraram reações do Congresso

Adriano Machado/Reuters - 09.08.2021

Após a repercussão do desfile militar em frente à Esplanada durante a análise da PEC do voto impresso, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi às redes sociais e convidou na noite desta segunda-feira (9) os presidentes do Congresso e do STF (Supremo Tribunal Federal) para participar do evento. 

"Sr. Presidente do ... STF, Câmara Federal, Senado, TCU, TSE, STJ, TST, Deputados, Senadores... :
Como ocorre desde 1988, a nossa Marinha realiza exercícios em Formosa/GO. Como a tropa vem do Rio, Brasília é passagem obrigatória. Muito me honraria sua presença amanhã na Presidência (08h30), onde receberei os cumprimentos da Força e lhes desejarei boa sorte na missão", escreveu.

Com seguidas ameças de Bolsonaro às eleições, condicionando o pleito a aprovação do voto impresso pelos parlamentares, o anúncio do desfile gerou reações fortes no Congresso. Alguns entraram na justiça para impedir o desfile, ao qual viram como instrumento de intimidação do presidente. 

O voto impresso já foi reprovado em comissão especial do Congresso, que tem caráter consultivo. A proposta deve ser analisada pelo plenário nesta terça-feira (10), mesma data em que o comboio da Operação Formosa passará em frente ao Palácio do Planalto.

Os militares entregarão em mãos os convites da demonstração a Bolsonaro, e ao ministro da Defesa, Braga Netto, para demonstração da operação a ser realizada na próxima segunda-feira (16). 

A Operação Formosa, realizada desde 1988, é o maior treinamento militar da Marinha do Brasil no Planalto. Neste ano, a ação contará, pela primeira vez, com a participação da Força Aérea Brasileira e do Exército Brasileiro.

Em nota, a Marinha também rechaçou ligações políticas do evento com qualquer pretensão de Jair Bolsonaro e disse que o evento estava marcado antes da análise da PEC do voto impresso.

Últimas