Jair Bolsonaro

Brasil Bolsonaro diz que é 'impossível' pagar auxílio após dezembro

Bolsonaro diz que é 'impossível' pagar auxílio após dezembro

Presidente garantiu que o benefício será pago até o final de 2020 e estimou que os valores das próximas parcelas serão entre R$ 200 e R$ 600

  • Brasil | Do R7

"R$ 600 é muito para quem paga", disse Bolsonaro

"R$ 600 é muito para quem paga", disse Bolsonaro

Carolina Antunes/PR - 27.08.2020

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (27), durante sua live semanal nas redes sociais, que é "impossível" manter o pagamento do auxílio emergencial em 2021. Ele garantiu o benefício até dezembro e disse que as próximas parcelas devem variar entre R$ 200 e R$ 600.

"Quando foi criado o auxílio, era para três meses. Estendemos para cinco e alguns querem mais quatro. É impossível. Quebra o Brasil, perdemos a confiança e nós temos que voltar ao trabalho”, apontou o presidente.

Leia mais: Auxílio emergencial será liberado para 275 mil novos beneficiários

Ao descartar os dois valores extremos citados, Bolsonaro reafirmou que considera R$ 200 "pouco", mas avaliou que "R$ 600 é muito para quem paga" ao lembrar que cada um dos pagamentos custa R$ 50 bilhões aos cofres públicos.

"Queria esse valor nas mãos do [ministro da Infraestrutura], Tarcísio [Gomes de Freitas]. Em um ano, ele resolveria os grandes problemas de infraestrutura do Brasil", observou.

Ao lado da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, Bolsonaro disse não querer culpar ninguém pela perda de empregos, mas criticou as políticas de isolamento social. "Temos que voltar ao trabalho", pontuou.

Últimas