Brasil Bolsonaro diz que indicações definiram ministro da Saúde

Bolsonaro diz que indicações definiram ministro da Saúde

Presidente eleito disse que nome de Mandetta foi pela bancada da saúde da Câmara, das Santas Casas e das entidades médicas

Luiz Mandetta

Luiz Henrique Mandetta é deputado federal pelo DEM

Luiz Henrique Mandetta é deputado federal pelo DEM

Lucio Bernardo Jr./Câmara dos Deputados - 19.3.2014

O presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (20) que a nomeação do deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS) para assumir o Ministério da Saúde foi feita após a indicação de grupos com conhecimento na área.

"A escolha foi da bancada da saúde da Câmara, das Santas Casas do Brasil e das mais variadas entidades médicas de todo o país", disse Bolsonaro, que completou: "Eu acolhi a indicação dessas entidades, que querem, em nome de uma saúde realmente diferente".

Mandetta diz que Mais Médicos parecia 'convênio entre Cuba e PT'

O futuro presidente destaca ainda que o processo de escolha de Mandetta foi o mesmo utilizado para selecionar Tereza Cristina (DEM-MS) para o ministério da Agricultura.

"A questão do Mandetta, também foi feita pela bancada da saúde", respondeu Bolsonaro ao ser perguntado sobre o futuro ministro ser o terceiro nomeado filiado ao Democratas.

Questionado sobre as acusações que pesam contra Mandetta, o presidente eleito avaliou que o deputado "nem é réu ainda". "O que está acertado entre nós é que qualquer denúncia ou acusação que seja robusta não fará parte do nosso governo", garantiu. O futuro ministro é investigado por suspeita de ter favorecido empresas em um contrato de R$ 9,9 milhões assinado com a Secretaria de Saúde de Campo Grande, quando era secretário estadual.

O presidente da CMB (Confederação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos), Edson Rogatti, reforçou o apoio da entidade pela nomeação de Mandetta. "Ele sempre nos defendeu na Câmara dos Deputados", disse após deixar o encontro com Bolsonaro.

Arte/R7