Brasil Bolsonaro diz que Moro terá "ampla liberdade" como ministro da Justiça

Bolsonaro diz que Moro terá "ampla liberdade" como ministro da Justiça

Presidente eleito afirmou que o juiz da Lava Jato "vai abrir mão da carreira para enfrentar um desafio"

Sergio Moro

Bolsonaro: "Se o PT está reclamando, fiz a coisa certa"

Bolsonaro: "Se o PT está reclamando, fiz a coisa certa"

Igo Estrela/Estadão Conteúdo - 22.03.2017

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL) afirmou nesta quinta-feira (1º) que o juiz Sergio Moro, nomeado para assumir o Ministério da Justiça terá "ampla liberdade" para exercer nomeações e trabalhar dentro da pasta.

"Ele queria liberdade total para combater corrupção e crime organizado. [...] Não podemos deixar continuar a crescer do jeito que está", disse o futuro presidente sobre a reunião que teve com Moro pela manhã. "Ele vai abrir mão da carreira dele para enfrentar um desafio", completou.

Escolha de Moro é 'positiva para a causa anticorrupção', diz Dallagnol

Questionado a respeito das críticas feitas pelo PT (Partido dos Trabalhadores) após a confirmação do juiz no governo, Bolsonaro foi enfático: "Se eles estão reclamando, é porque eu fiz a coisa certa."

Bolsonaro ainda negou que haverá um "enfraquecimento" da Operação Lava Jato com a saída de Moro da 13ª Vara Criminal Federal de Curitiba.

"O trabalho não está comprometido. Ele é a esperança de que teremos dias melhores contra a corrupção", afirmou Bolsonaro, que observa a presença de "muitos bons juízes" e afirmar que a substituta do juiz no órgão, Gabriela Hardt, "vai fazer um trabalho semelhante" ao de Moro.

Moro é a vacina para o câncer da corrupção, afirma Onyx Lorenzoni

Sobre a possibilidade de indicar Moro para o STF (Supremo Tribunal Federal) em 2020 para o lugar do ministro Celso de Mello, que alcançará a aposentadoria obrigatória ao completar 75 anos, Bolsonaro disse que nada foi definido. "Não tenho compromisso nenhum", garantiu o presidente eleito.

O futuro presidente ainda destacou que havia se encontrado com Moro apenas uma vez e revelou que foi o nomeado para assumir a Economia, Paulo Guedes, que conversou com a juiz.

As razões de Moro para aceitar ser ministro da Justiça de Bolsonaro