Bolsonaro diz que novo protocolo da cloroquina será assinado nesta 4ª

Presidente afirma que o ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, será o responsável pela validação do protocolo

Bolsonaro disse ter "caixinha" de cloroquina guardada

Bolsonaro disse ter "caixinha" de cloroquina guardada

Gabriela Biló/Estadão Conteúdo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira que o ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, vai assinar nesta quarta-feira (20) novo protocolo para ampliar a recomendação do uso da cloroquina por pacientes da covid-19, apesar da falta de comprovação científica de eficácia do medicamento.

Bolsonaro disse ter uma "caixinha" do remédio guardada caso sua mãe de 93 anos necessite, e citou que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou na véspera utilizar a medicação de forma preventiva contra o novo coronavírus.

Leia mais: Novas regras preveem cloroquina a grávidas e pacientes leves

O novo protocolo do Ministério da Saúde vai ampliar a recomendação do uso da cloroquina para pacientes na fase inicial da covid-19, enquanto o atual protocolo diz que o remédio deve ser utilizado apenas em casos graves da doença provocada pelo novo coronavírus.

O presidente afirmou ainda, em entrevista pela internet ao Blog do Magno, que pretende deixar Pazuello à frente da pasta por enquanto, após o pedido de demissão de Nelson Teich na semana passada em meio a diferenças com Bolsonaro quanto ao protocolo da cloroquina.

Mais cedo esta terça-feira, o diretor do Departamento de Doenças Transmissíveis da Opas (Organização Pan-Americana da Saúde), Marcos Espinal, reiterou que não há evidência científica até o momento para recomendar o uso da cloroquina contra a covid-19, e disse que a recomendação da agência é que não se utilize o remédio para tratar a doença respiratória provocada pelo novo coronavírus.