Bolsonaro era escoltado por agentes da PF no momento do ataque

Candidato do PSL fazia campanha no centro da cidade mineira quando foi atingido, segundo a polícia. Agressor foi preso pela Polícia Federal

O candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) era escoltado por agentes da Polícia Federal, além de seguranças particulares, no momento em que foi atacado por uma faca na tarde desta quinta-feira (6), durante evento de campanha em Juiz de Fora, em Minas Gerais.

A facada atingiu o candidato na região do abdômen. Ele foi levado para a Santa Casa de Juiz de Fora, onde passa por cirurgia.

A Polícia Federal instaurou inquérito para apurar o ataque. Em nota, a PF confirmou que o homem suspeito de ter esfaqueado o candidato, Adélio Bispo de Oliveira, de 40 anos, foi detido por populares e seguranças e conduzido por policiais federais para a Delegacia da Polícia Federal em Juiz de Fora (MG), onde está prestando depoimento. Antes de ser retirado do local, o suspeito chegou a apanhar de pessoas que acompanhavam o evento.

Veja imagens do momento exato do ataque:

O ataque

Bolsonaro estava sendo carregado por apoiadores pela rua Halfeld, no centro de Juiz de Foraquando foi atingido por uma faca, que aparentemente estava escondida sob um pano. O candidato foi retirado do local por apoiadores e levado por agentes da Polícia Federal, que faziam sua escolta, para a Santa Casa de Juiz de Fora.

Inicialmente, a Polícia Militar de Minas Gerais informou que o candidato não havia sido perfurado durante o ataque, mas a perfuração foi confirmada pela unidade de saúde.

Flávio Bolsonaro, um dos filhos do presidenciável, declarou também logo após a agressão que seu pai sofre uma estocada "superficial" e que "passa bem".

Em seguida, ele divulgou que a agressão foi mais grave do que se imaginava, atingindo fígado, pulmão e alça do intestino.