Brasil Bolsonaro minimiza mudança do Coaf e pede que Senado aprove MP

Bolsonaro minimiza mudança do Coaf e pede que Senado aprove MP

Durante live transmitida no Facebook, presidente disse que, no seu "entender", a Casa deve aprovar o que foi votado na Câmara dos Deputados

O presidente Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro

Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro pediu na noite desta quinta-feira (23), durante live transmitida no Facebook, que o Senado aprove o texto da medida administrativa que reduziu o número de ministérios, acrescentando que, no seu "entender", a Casa deve aprovar o que foi votado na Câmara dos Deputados.

"No meu entender, deve aprovar o que foi votado na Câmara dos Deputados, e vamos seguir em pautas mais importantes. A minha bancada do PSL é uma bancada de parlamentares bastante novos, alguns ainda acham que têm que ganhar todas, mas não dá", disse o presidente, ressaltando que o Parlamento tem "legitimidade" para fazer alterações no texto do governo.

O que é a MP 870 e por que ela virou um cabo de guerra entre governo e Congresso

Bolsonaro minimizou a retirada do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Justiça, considerada uma derrota para o governo. "Continua no Executivo", disse. O órgão voltará à alçada do Ministério da Economia. O pedido de Bolsonaro ocorreu horas após o líder do governo no Senado, Major Olímpio (PSL-SP), afirmar que apresentará uma emenda para que o Coaf fique sob o controle do ministro da Justiça, Sergio Moro.

Nordeste

O presidente destacou ainda, durante live, que o governo irá anunciar nesta sexta-feira (24), em viagem presidencial a Recife, o plano estratégico para o Nordeste. O presidente lembrou que, apesar de ser uma questão "antiga", também será anunciado durante a viagem o 13º salário do programa Bolsa Família. Segundo Bolsonaro, a medida irá levar aproximadamente mais R$ 2,2 bilhões em dezembro de "extra" para a região Nordeste.

Na viagem, Bolsonaro participará da reunião de conselho deliberativo da Sudene (Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste), no Recife, com a presença dos governadores do Nordeste. No mesmo dia, Bolsonaro também irá a Petrolina (PE) para participar da entrega de unidades do programa Minha Casa Minha Vida. A reunião deliberativa do conselho deverá tratar da aprovação do plano regional de desenvolvimento para os próximos 12 anos e de um reforço de R$ 2,1 bilhões no orçamento do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste.