Bolsonaro pede que Venezuela se manifeste sobre óleo no Nordeste

Ministro do Meio Ambiente destacou que as amostras do material coletado identificaram que o óleo provém de poços e misturas do país vizinho

óleo no nordeste

Mais de 230 localidades já foram atingidas pelo óleo

Mais de 230 localidades já foram atingidas pelo óleo

Carloz Ezaquiel Vannoni/Estadão Conteúdo

O presidente Jair Bolsonaro encaminhou pedido à OEA (Organização dos Estados Americanos) para que a Venezuela se manifeste sobre o petróleo que tem sido encontrado em praias da Região Nordeste do Brasil, disse nesta quarta-feira (23) em pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

O ministro destacou o que classificou de trabalhos intensos para limpar as praias nordestinas do petróleo — que disse ter origem venezuelana — e as investigações para determinar a origem do material e apontar responsáveis pelo que chamou de desastre ambiental.

Marinha diz que vazamento é bombardeio contra o Estado brasileiro

"O presidente da República determinou que fosse encaminhada solicitação formal à OEA, a Organização dos Estados Americanos, para que a Venezuela se manifeste sobre o material coletado", disse Salles no pronunciamento.

"Amostras do material coletado foram analisadas em laboratórios especializados que identificaram que esse material não foi extraído do território nacional, mas provém — conforme demonstrado por análise técnica — de poços e misturas de origem venezuelana", afirmou.

Veja perguntas e respostas sobre as manchas de óleo nas praias do NE

Segundo dados do Ibama, 233 localidades já foram atingidas pelo óleo que começou a aparecer na região no início de setembro. De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, já foram retiradas 900 toneladas de resíduos, o que inclui óleo e areia, das praias.