Brasil Bolsonaro rebate críticas por ter recebido alemã de extrema direita

Bolsonaro rebate críticas por ter recebido alemã de extrema direita

"Recebi deputada eleita democraticamente", diz o presidente após foto com neta de um ex-ministro da Alemanha nazista

  • Brasil | Plínio Aguiar, do R7

Na imagem, Beatrix von Storch e Jair Bolsonaro

Na imagem, Beatrix von Storch e Jair Bolsonaro

Reprodução Instagram

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) falou a apoiadores nesta quinta-feira (29) sobre o encontro que teve com Beatrix von Storch, deputada alemã da extrema-direita e neta de um ex-ministro das Finanças da Alemanha nazista. O titular do Executivo defendeu a reunião e a comparou com o episódio em que se reuniu com Luis Miranda (DEM-DF).

“Semana passada tinha um deputado chileno e uma deputada alemã visitando a Presidência. Poxa, tratei, conversei, bati um papo. Vai que a deputada alemã é neta de um ex-ministro do Hitler. Pô, me arrebentaram na imprensa. Acho que a gente não pode ligar um pai a um filho, muitas vezes, um fez uma coisa errada e ligar a outra”, afirmou.

“Os regimes comunistas né, quando encontravam com um homem, acusado de um crime, prendia a esposa, filhos. Eu não posso receber essa deputada? Foi eleita democraticamente na Alemanha. Se eu for ver a ficha de cada um para ser atendido. Primeiro, vou demorar horas para atender”, completou.

As declarações foram dadas por Bolsonaro a apoiadores no Palácio do Alvorada e transmitidas por um canal no Youtube. O titular do Executivo comparou, ainda, o encontro com a parlamentar alemã ao momento em que recebeu o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF), que o alertou sobre as irregularidades no contrato da Covaxin, vacina contra a covid-19 produzida pela Índia.

“Igual eu recebi aqui o deputado Luis Miranda aqui, não vou falar nada sobre ele. Deixa ele. Está sendo investigado pela PF, pelo Conselho de Ética da Câmara também”, disse.

Encontro

O encontro da deputada alemã com Bolsonaro ocorreu em Brasília. Na ocasião, ela também se encontrou com parlamentares bolsonaristas (Bia Kicis, por exemplo). Beatrix, que integra o partido de extrema-direita Alternativa para Alemanha, compartilhou imagens da reunião em sua conta no Instagram.

“Em uma conversa de uma hora, pude discutir a situação de nossas duas nações com o presidente. Fiquei profundamente impressionada com a compreensão que o presidente tem dos problemas da Europa e dos desafios políticos de nosso tempo”, disse.

“Embora tivesse acabado de terminar mais uma internação hospitalar em decorrência do assassinato, ele parecia controlado, determinado e cheio de confiança. Em contraste com o que a grande mídia retratou, ele é humilde, bem-humorado e amigável nas relações pessoais. O Presidente é, sem dúvida, um homem de convicções profundas, de fé cristã e de profundo amor pela pátria”, acrescentou.

Beatrix comentou ainda que, para ser capaz de combater com sucesso a esquerda, “os conservadores também devem se relacionar melhor internacionalmente”. “O Brasil é uma potência emergente e, ao lado dos EUA e da Rússia, pode ser um parceiro estratégico global da Alemanha com quem podemos construir o futuro juntos”, acredita.

Últimas