Coronavírus

Brasil Bolsonaro se encontrou com Pazuello hoje (22) no Alvorada

Bolsonaro se encontrou com Pazuello hoje (22) no Alvorada

Encontro não estava previsto na agenda oficial do presidente. Saída do ministro da Saúde é esperada desde a semana passada

Agência Estado
Pazuello será substituído na chefia do Ministério da Saúde pelo médico Marcelo Queiroga

Pazuello será substituído na chefia do Ministério da Saúde pelo médico Marcelo Queiroga

Ueslei Marcelino/Reuters - 10.03.2020

Diante do momento mais grave da pandemia de covid-19 no Brasil e da demora para o troca no comando do Ministério da Saúde, o presidente Jair Bolsonaro se reuniu nesta segunda-feira (22), com ministro Eduardo Pazuello no Palácio da Alvorada. O encontro não estava previsto na agenda oficial do presidente. Na saída da residência oficial, Pazuello estava com Bolsonaro no momento em que o presidente conversou com apoiadores.

A saída de Pazuello do ministério é esperada desde a semana passada, quando Bolsonaro indicou o médico Marcelo Queiroga para ocupar o comando da Saúde. A nomeação, contudo, ainda não ocorreu. Conforme o Estadão mostrou, a participação do cardiologista como sócio de duas empresas contribui para o atraso na sua nomeação para o cargo. A legislação impede que servidores públicos participem da gerência ou administração de empresas privadas.

A previsão informal era que a cerimônia de posse de Queiroga ocorresse nesta terça-feira (23), mas sem a nomeação não será possível. O presidente chegou a dizer que Pazuello deixaria o cargo na última sexta-feira, 19, mas isso também não ocorreu.

Enquanto a troca na Saúde segue ainda sem previsão, o País continua registrando alta nos números da crise sanitária, falta de medicamentos para a intubação de pacientes e em ritmo lento com a campanha de vacinação - até este domingo eram 11.805.991 de pessoas vacinadas com a primeira dose, ou 5,58% da população, e 4.160.093 vacinadas com a segunda dose (1,96% da população). No total, o País tem quase 295 mil mortos e quase 12 milhões de casos da doença, a segunda nação com mais registros, atrás apenas dos Estados Unidos.

Últimas