Coronavírus

Brasil Bolsonaro sobre CoronaVac: "Agora estão ouvindo a verdade"

Bolsonaro sobre CoronaVac: "Agora estão ouvindo a verdade"

Presidente ironizou a eficácia geral de 50,38% da vacina contra a covid-19 desenvolvida pelo Instituto Butantan

  • Brasil | Do R7

Jair Bolsonaro ao lado da mulher, Michelle, em cerimônia alusiva aos 160 anos da CAIXA

Jair Bolsonaro ao lado da mulher, Michelle, em cerimônia alusiva aos 160 anos da CAIXA

Marcos Corrêa/PR - 12.01.2021

Em fala a apoiadores na manhã desta quarta-feira (13), em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro ironizou o resultado da eficácia geral CoronaVac, vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan, do governo de São Paulo, em parceria com a Sinovac, farmacêutica da China.

"Essa de 50% é uma boa? O que eu apanhei por causa disso! Agora estão ouvindo a verdade. Quatro meses apanhando por causa da vacina. Entre eu e a vacina tem a Anvisa. Não sou irresponsável, não estou a fim de agradar quem quer que seja", afirmou o presidente.

Nesta terça-feira (12), o Instituto Butantan anunciou a eficácia geral da CoronaVac: 50,38%. Isto significa que a vacina foi capaz de prevenir a infecção pelo coronavírus neste percentual entre voluntários imunizados durante os ensaios clínicos de fase 3 realizados no país.

A Anvisa e a OMS (Organização Mundial da Saúde) entendem que vacinas que apresentem eficácia de no mínimo 50% podem ser utilizadas em programas de imunização nesta pandemia diante da urgência em controlar o vírus e a incidência de quadros graves de covid-19.

Ao ser interpelado por uma apoiadora, a qual disse que só tomaria vacina depois dele, Bolsonaro respondeu já ser imunizado. Autoridades sanitárias relataram recentemente casos de reinfecção no Brasil.

Armamento

A colecionadores de armas, Bolsonaro voltou a falar sobre aquisição de armamentos. "Sempre terão comigo um aliado para compra legal de armamento. Não existe lobby de armamento para cima de mim, porque eu sou adepto a toda forma de legítima defesa para o cidadão de bem."

Ford

O chefe do Executivo reafirmou que o fechamento da Ford no Brasil se deu porque não há mais subsídio do governo federal às montadoras e devido à concorrência.

"Foram dezenas de bilhões de reais para esse pessoal... renúncia fiscal", disse. "Essa fábrica fechou por causa de concorrência. Não tem mais subsídio nosso e o que ela fabricava aqui não é mais rentável. Agora vai embora", disparou Bolsonaro, destacando que lamenta o fechamento da montadora norte-americana no Brasil.

Sobre as críticas ao governo federal em relação à decisão da empresa, o presidente novamente criticou medidas sanitárias, como isolamento social e fechamento do comércio, adotadas por estados e municípios.

"Alguém viu alguém falando sobre fechamento de milhões de empresas no Brasil? Eu segurei milhões de empregos com aquelas medidas, via Pronamp (Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural) e via auxílio emergencial. Acho que fui o único que fez algo para manter emprego no Brasil. O resto fechou. Fecha, fica em casa e a economia a gente vê depois. Está chegando a fatura", disparou.

Últimas