CPI da Covid

Bolsonaro: temos uma CPI de sete pilantras

O presidente criticou a CPI da Covid em discurso feito nesta sábado (26) durante manifestação de apoiadores em Chapecó (SC) 

Agência Estado
Bolsonaro na motociata realizada por apoiadores neste sábado (26), em Chapecó (SC)

Bolsonaro na motociata realizada por apoiadores neste sábado (26), em Chapecó (SC)

DOUGLAS ABREU/ISHOOT/ESTADÃO CONTEÚDO - 26/6/2021

O presidente Jair Bolsonaro criticou, durante manifestação de apoiadores em Chapecó (SC), a realização da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado para investigar a gestão do governo durante a pandemia.

"Temos uma CPI de sete pilantras que não querem investigar quem recebeu o dinheiro, apenas quem pagou", disse. A CPI conta com onze senadores titulares e sete suplentes.

Bolsonaro declarou que o governo defendeu o direito de trabalhar dos brasileiros, ao mesmo tempo que criticou medidas de restrições para conter o avanço da covid-19 no País desde o ano passado.

"Não fechei um botequim. Não decretei lockdown porque respeito a constituição, o direito de ir e vir. Tentaram no ano passado mergulhar o Brasil no caos, com medidas absurdas", disse.

O presidente discursou em tom de campanha, por cerca de dez minutos, citando o PT e o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, que chamou de "ladrão que por 14 anos afundou nosso País". Ele defendeu que não haverá fraudes nas eleições de 2022, e disse que o Brasil terá uma "eleição no ano que vem com voto auditável".

Ao final, ele passou a palavra para o ministro de Infraestrutura Tarcísio Freitas, que falou brevemente sobre o combate a corrupção e parabenizou a recepção na cidade.

Últimas