Brasil Bolsonaro tira a máscara e manda jornalista calar a boca em SP

Bolsonaro tira a máscara e manda jornalista calar a boca em SP

Presidente defendeu novamente o uso facultativo do acessório antes de retirá-lo para iniciar a série de ataques aos profissionais

Agência Estado
O presidente Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro

Joédson Alves/EFE - 09.06.2020


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) atacou jornalistas, tirou, em uma entrevista, a máscara de uso obrigatório para evitar a transmissão contra covid-19 e afirmou que cuida da sua própria vida.

Leia também: Bolsonaro defende voto impresso e critica investigação da facada

Em Guaratinguetá (SP), após evento na Aeronáutica nesta segunda (21), o presidente até iniciou a entrevista com o acessório, mas defendeu novamente o uso facultativo antes de retirá-lo para iniciar a série de ataques aos profissionais de imprensa.

"Eu chego como eu quiser onde eu quiser, está certo? Eu cuido da minha vida. Se você não quiser usar máscara, você não use", disse "Estou sem máscara em Guaratinguetá. Está feliz agora?", perguntou assim que retirou o objeto do rosto.

Perguntado inicialmente sobre multa aplicada a ele pelo governo paulista pelo comparecimento a um passeio com motociclistas, dia 12 de junho, o presidente se irritou e pediu que fizessem "perguntas decentes". Após outra indagação, sobre Santas Casas, Bolsonaro insultou uma profissional, da TV Vanguarda, afiliada da Rede Globo.

"Cale a boca, vocês são uns canalhas. Vocês fazem um jornalismo canalha, que não ajuda em nada. Vocês destroem a família brasileira, destroem a religião brasileira, vocês não prestam", disse à jornalista após questionar de qual veículo ela era.

Na avaliação de Bolsonaro, o tratamento precoce contra covid-19 é responsável pela redução do número de mortes. "Salvou a minha vida e de mais 200 pessoas do meu prédio", afirmou.

Últimas