Brasil Bolsonaro tira sonda e volta a receber dieta líquida, diz boletim

Bolsonaro tira sonda e volta a receber dieta líquida, diz boletim

Presidente continua realizando fisioterapia respiratória e motora e as visitas seguem restritas

Bolsonaro

Bolsonaro está internado desde domingo (8)

Bolsonaro está internado desde domingo (8)

Reprodução/Twitter

O presidente Jair Bolsonaro voltou a receber dieta líquida nesta sexta-feira (13). 

A equipe médica retirou a sonda nasogástrica e manteve a alimentação parental (endovenosa). 

O presidente continua realizando fisioterapia respiratória e motora. As visitas seguem restritas. 

Leia o boletim médico na íntegra: 

"O Hospital Vila Nova Star informa que o Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, apresenta boa evolução clínica. Permanece sem dor, afebril e com melhora acentuada dos movimentos intestinais. Foi retirada a sonda nasogástrica e reintroduzida a dieta líquida. Está mantida a alimentação
parenteral (endovenosa). Continua com fisioterapia respiratória e motora, deambulando pelo corredor. As visitas seguem restritas". 

Quarta cirurgia

Bolsonaro foi submetido a uma cirurgia no domingo (8) para retirada de hérnia incisional em uma das cicatrizes de operação anterior. Esta foi a quarta cirurgia do presidente desde a facada durante campanha em Juiz de Fora (MG).

O médico responsável pelo procedimento, Antônio Macedo, cirurgião geral do Hospital Vila Nova Star, disse no domingo, em entrevista coletiva, que a cirurgia foi bem-sucedida, que demorou cerca de cinco horas, mais do que o previsto inicialmente — de duas a três horas — devido a uma aderência do intestino, mas não houve complicações.

Após o procedimento, o porta-voz da Presidência da República, general Otávio Rego Barros, informou que Bolsonaro passou a Presidência ao vice, Hamilton Mourão, pelos próximos cinco dias a partir deste domingo.

Já o médico informou, no início da noite que a internação pode se estender por até dez dias e que Bolsonaro deverá sair direto do hospital para o aeroporto. Por isso ainda não é possível prever quando terá alta.