Eleições 2018

Brasil Bolsonaro usará bolsa de colostomia por até três meses, diz médica

Bolsonaro usará bolsa de colostomia por até três meses, diz médica

Candidato à Presidência foi transferido para o hospital Albert Einstein, em São Paulo, na manhã desta sexta-feira (7). O quadro de saúde é estável

  • Brasil | Da Agência Brasil

Médica: Bolsonaro chegou em estado de choque

Médica: Bolsonaro chegou em estado de choque

Tânia Rêgo/ Agência Brasil - 07.09.2018

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, alvo de um atentado em Juiz de Fora (MG) na última quinta-feira (6), usará uma bolsa de colostomia de dois a três meses (entenda no quadro abaixo).

A informação, dada nesta sexta-feira (7), é da médica Eunice Caldas Figueiredo Dantas, que o atendeu no Hospital da Santa Casa de Misericórdia, em Juiz de Fora, para onde foi levado após ter sido atacado a facada, na quinta-feira (6), durante campanha na cidade mineira.

A médica informou ainda que Bolsonaro chegou ao hospital em estado de choque por causa do forte quadro hemorrágico e que poderia ter morrido se não fosse o pronto atendimento.

Segundo ela, a prioridade imediata foi reverter o quadro de perda de sangue, estancando a hemorragia e fazendo uma transfusão, com o uso de quatro bolsas de sangue.

Eunice Caldas relatou ainda que, após a estabilização da pressão sanguínea, foi feita a intervenção na região do intestino, pois a perfuração por faca atingiu severamente o intestino grosso, que foi seccionado, com a necessidade de retirar 10 centímetros da área atingida.

A médica destacou que a intervenção cirúrgica foi de “grande porte”, mas que o paciente está com o quadro de saúde estável.

Sobre a transferência de Bolsonaro para o Hospital Albert, em São Paulo, ela disse que a decisão foi amplamente discutida com a família e a equipe médica que, diante do quadro de estabilidade clínica, concluiu que não havia risco.

A médica disse que o paciente está com sonda gástrica e oxigenado.

Arte R7

Dor de uma bolada no estômago

Em um vídeo divulgado pelo senador Magno Malta, que aparece orando pelo candidato, gravado na UTI da Santa Casa de Juiz de Fora, e divulgado em rede social, Bolsonaro diz que, ao ser esfaqueado, sentiu uma forte dor como se tivesse recebido uma bolada no estômago.

Jair Bolsonaro agradeceu aos médicos e enfermeiros que o atenderam na cidade mineira.

Últimas