Novo Coronavírus

Brasil Bolsonaro visita obras de hospital de campanha em Goiás

Bolsonaro visita obras de hospital de campanha em Goiás

Presidente se encontrou rapidamente com o governador do estado, Ronaldo Caiado, que o criticou por ser contrário às medidas de isolamento

  • Brasil | Do R7

Bolsonaro foi a GO acompanhado de Mandetta

Bolsonaro foi a GO acompanhado de Mandetta

Adriano Machado/Reuters - 11.04.2020

O presidente Jair Bolsonaro visitou na manhã deste sábado (11) um hospital de campanha que está sendo construído pela União em Águas Lindas (GO). Ele chegou do helicóptero ao lado do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e de outros auxiliares. 

A obra é coordenada pelo Ministério da Infraestrutura e foi uma solicitação do governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), para atender pacientes com coronavírus na região.

Hospital terá 200 leitos para atender casos de coronavírus em Goiás

Hospital terá 200 leitos para atender casos de coronavírus em Goiás

Alberto Ruy/MInfra - 9.4.2020

Este foi o primeiro encontro de Caiado e Bolsonaro após o governador de Goiás romper com o presidente no fim de março por ser favorável ao isolamento social.

Em 25 de março, chegou a fazer duras críticas a Bolsonaro, que havia minimizado a doença e feito um pronunciamento em cadeia nacional da rádio e televisão pedindo à população que voltasse à vida normal.

"Quando se escuta uma declaração como essa, de dizer que isso é um resfriadinho, uma gripezinha. Respeita. Ninguém definiu melhor que o Obama: na política e na vida a ignorância não é uma virtude", disse na ocasião. 

A visita às obras durou menos de meia hora e não houve discursos e nem entrevistas do presidente. 

Antes de retornar ao helicóptero, Bolsonaro caminhou pelas redondezas do hospital. Sem máscara, cumprimentou populares e causou aglomeração, o que é contraindicado pelas autoridades de saúde neste momento.

Mandetta, que não participou da caminhada e também não retornou no mesmo helicóptero do presidente, foi questionado pelos repórteres logo em seguida sobre a atitude de Bolsonaro. 

"Eu posso, no máximo, recomendar [que evite aglomeração], não posso fazer as coisas. Eu não julgo ninguém", afirmou.

Ele ainda disse estar "extremamente desagradável" ao ser cercado de repórteres e que a imprensa se aglomera demais.

O hospital de campanha de Águas Lindas deve ficar pronto em duas semanas. A estrutura terá 200 leitos adaptáveis para tratamento semi-intensivo, com tubulação e suporte para respiradores, em uma área de 10 mil m². O custo será de R$ 10 milhões.

A área escolhida foi a pedido do governo de Goiás, pois abriga uma grande concentração populacional com poucos hospitais disponíveis.

A situação do Distrito Federal e entorno, onde fica Águas Lindas, preocupa o Ministério da Saúde, já que é a terceira unidade da federação com maior incidência de coronavírus no país. São 18,2 casos por 100 mil habitantes. A média é 9,3.

Últimas