Braga Netto diz que covid-19 elevou déficit fiscal para R$ 525 bilhões

Ministro da Casa Civil alertou para perigo de 'caos social e desabastecimento' se a economia não voltar

Ministro da Casa Civil Walter Bragga Netto

Ministro da Casa Civil Walter Bragga Netto

Anderson Riedel/Presidência da República - 1.4.2020

O ministro da Casa Civil, Walter Braga Netto, disse nesta sexta-feira (22), em sua exposição à comissão de acompanhamento das ações do governo contra a covid-19, que a "crise impôs desafio fiscal muito grande: a meta original do nosso déficit para 2020 era de R$ 124 bilhões. Com a covid-19, nós estamos agora em torno de R$ 525 bilhões de déficit".

“Isso vai requerer um esforço e a responsabilidade de todos os poderes para retomarmos o caminho do crescimento e voltarmos à normalidade. Isto tudo está sendo feito para preservar vidas e empregos.”

Ele revelou que o Ministério da Economia tem uma espécie de "empregômetro", para medir quantas vagas foram preservadas. Segundo Braga Netto, "foram preservados no Brasil mais de 8 milhões de empregos”

Braga Netto disse ainda: “O recurso é finito. Quando terminar o recurso, e não tem como continuar por muito tempo, a economia tem de voltar. E aí nós precisamos do apoio dos senhores. Se a economia não voltar, vamos ter gente morrendo de fome e vamos ter caos social, com desabastecimento e tudo mais. A população está tranquila, o abastecimento está normal, mas o governo está se desdobrando para manter este nível de emprego e abastecimento.”

Ainda segundo o ministro, R$ 60 bilhões serão encaminhados a estados e municipios, apos acordo firmado ontem. "Resultado do entendimento de ontem, foi concretizado apoio financeiro da ordem de R$ 60 bilhões de ajuda financeira a estados e municípios. Se considerarmos postergação de impostos e outros auxílios, o total chega a R$ 177 bi, segundo Paulo Guedes."