Brasil Brasil está preparado para garantir segurança contra o Estado Islâmico nas Olimpíadas, diz Dilma

Brasil está preparado para garantir segurança contra o Estado Islâmico nas Olimpíadas, diz Dilma

Presidente cita organização da Copa e convoca 'visitantes e esportistas' para o evento

  • Brasil | Do R7

Observada de perto pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, a presidente brasileira Dilma Rousseff assegurou, nesta terça-feira (30), que as autoridades brasileiras estão preparadas para evitar possíveis atentados terroristas comandados pelo grupo extremista EI (Estado Islâmico).

Dilma disse que as Forças Armadas, a Polícia Federal e as polícias em nível estadual estão de prontidão para garantir a segurança durante a competição. Em seguida, para reforçar, Dilma declarou que o País fez um bom papel quando sediou a Copa do Mundo de 2014 e, por isso, está pronto para receber a competição internacional da mesma forma.

— Nas Olimpíadas de 2016, nós teremos uma Olimpíada especial porque vai combinar a alegria do Brasil e uma beleza. [...] Vai combinar uma excelente organização com uma capacidade fantástica de receber os visitantes e esportistas. Convidamos a todos porque vamos garantir não só a segurança como também uma grande festa em 2016.

Diplomata libanesa: Todo país de 'infiéis' pode ser alvo do Estado Islâmico

Dilma sobre reaproximação de Cuba: "É o fim da guerra fria"

Lava Jato

A presidente também respondeu sobre as investigações da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, e a citação de ministros do seu governo em delações premiadas — como Edinho Silva (Comunicação) e Aloizio Mercadante (Casa Civil). Bastante ponderada, Dilma afirmou que a petroleira tem milhares de funcionários e admitiu que "alguns funcionários cometeram delitos de corrupção".

— Assim o MPF [Ministério Público Federal] os investiga e os processa. Primeiro, terão que ser considerados culpados, mas os indícios são grandes. Com isso, quero dizer que todas as medidas legais que se tomarem sobre a Petrobras terão que considerar que dentro da Petrobras foram cometidos atos de corrupção.

A presidente ressaltou, porém, que a corrupção "não é do conjunto da empresa e, portanto, tem que haver a responsabilização daquele que a cometeu. Os autores terão que ser punidos para depois saber o que vai acontecer". Dilma destacou também a boa gestão da Petrobras, "com processos de governança e compliance bastantes ajustados" e afirmou que a petroleira está "sob judice". Por fim, falou sobre a citação de ministros.

— Eu nunca demiti ministro ou aceitei ministros nomeados ou demitidos pela imprensa. Por isso, vou aguardar a conclusão dos fatos. [...] Quem prova que a pessoa é culpada, é quem acusa. Esse é o princípio fundamental quando falamos de democracia.

Últimas