Brasil tem “classe política de excelência”, afirma ministro do Supremo

"Não se realiza nem se desenvolve democracia sem política e sem políticos", diz Gilmar Mendes

Brasil tem “classe política de excelência”, afirma ministro do Supremo

Gilmar Mendes criticou o financiamento de campanha feito apenas por pessoas físicas

Gilmar Mendes criticou o financiamento de campanha feito apenas por pessoas físicas

Carlos Humberto/19.10.2016/SCO/STF

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) e presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Gilmar Mendes, defendeu nesta terça-feira (29) a classe política brasileira. Segundo ele, os representantes dos três poderes permitem segurança institucional que hoje se observa no País.

Mendes discursou durante a abertura de um evento organizado pela OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) para debater a reforma política e afirmou que, "apesar dos pesares", se produziu uma classe política de excelência no País.

— Estamos prestes a celebrar 30 anos da Constituição de 1988, num quadro de normalidade institucional, isso também graças à habilidade e à qualidade de nossos políticos. [...] Não se realiza nem se desenvolve democracia sem política e sem políticos.

Leia mais notícias de Brasil e Política

Em seguida, Mendes foi a uma audiência pública na Câmara sobre o mesmo assunto, reforma política, onde criticou o sistema de financiamento somente por pessoas físicas, utilizado pela primeira vez nas eleições municipais deste ano. O presidente do TSE disse ser “evidente” que houve o uso de números de CPF (Cadastro de Pessoa Física) de laranjas para alimentar o Caixa 2 de campanhas.

Ele afirmou ainda que, na sua convicção, a Operação Lava Jato, responsável por expor as “entranhas” dos sistema financeiro da política brasileira, irá obrigar a uma mudança no sistema eleitoral.