grevecaminhoes
Brasil Cade vai investigar infrações durante greve dos caminhoneiros

Cade vai investigar infrações durante greve dos caminhoneiros

Objetivo do Conselho Administrativo de Defesa Econômica possíveis crimes à ordem econômica

Cade vai investigar infrações durante greve dos caminhoneiros

Cade vai apurar crimes à ordem econômica

Cade vai apurar crimes à ordem econômica

Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) informou nesta sexta-feira (25) que abriu procedimento preparatório de investigação para apurar possíveis infrações à ordem econômica no âmbito da paralisação dos caminhoneiros.

Temer anuncia que vai liberar rodovias com uso da força

A investigação leva em conta informações sobre os efeitos dos bloqueios de rodovias e que, após investigação, podem configurar infração à ordem econômica, de acordo com o Cade.

O perigo de "correr sangue" nas estradas brasileiras

Constituem infração à ordem econômica condutas que possam produzir efeito de “limitar, falsear ou de qualquer forma prejudicar a livre concorrência ou a livre iniciativa”, além de “exercer de forma abusiva posição dominante”.

Avião de Temer fica sem combustível para viagens longas

Entre as investigações estão as relacionadas ao aumento nos preços de diferentes produtos, entre eles, a gasolina.

Em outra ponta, também serão apuradas situações envolvendo a destruição, inutilização ou que venham a “monopolizar matérias-primas, produtos intermediários ou acabados, assim como destruir, inutilizar ou dificultar a operação de equipamentos destinados a produzi-los, distribuí-los ou transportá-los”.

Caso configurado o ilícito concorrencial, a prática pode sujeitar as empresas responsáveis à pena de multa de 0,1% a 20% do valor do faturamento bruto no último exercício anterior à instauração do processo administrativo. Em se tratando de pessoas físicas, a sanção pode ir de R$ 50 mil a R$ 2 bilhões, segundo o Cade.

De acordo com o órgão fiscalizador, a legislação prevê ainda aos infratores a imposição de proibição de contratar com instituições financeiras oficiais e participar de licitação, a recomendação para que não seja concedido parcelamento de tributos federais, incentivos fiscais ou subsídios públicos, a cisão de sociedade, a transferência de controle societário, a venda de ativos ou cessação parcial de atividade, a proibição de exercer o comércio, entre outros.