Brasil Campanha de Bolsonaro quer devolver dinheiro

Campanha de Bolsonaro quer devolver dinheiro

Objetivo é ter contas aprovadas sem ressalvas pelo Tribunal Superior Eleitoral, segundo advogados do presidente eleito

Campanha

TSE apontou inconsistências nas contas

TSE apontou inconsistências nas contas

Rafael Carvalho/Governo de Transição

Os advogados da campanha eleitoral do presidente eleito Jair Bolsonaro anunciaram nesta quarta-feira (28) que pretendem devolver R$ 8.275 aos cofres públicos em troca de a campanha ter as contas aprovadas sem ressalvas pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), informou a defesa da campanha em comunicado.

"A fim de regularizar as contas, será providenciado o recolhimento da diferença não identificada ao erário público... A devolução espontânea saneia a pendência e não compromete a regularidade da prestação de contas do candidato, razão pela qual este tópico deve ser afastado", afirmam os advogados.

Na terça, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, considerou que as contas da campanha de Bolsonaro devem ser aprovadas com as ressalvas levantadas no relatório da área técnica do TSE.

No documento enviado ao TSE, Dodge, que também é a procuradora-geral eleitoral, destaca que foram constatadas irregularidades no valor de R$ 171 mil, o que representa 3,9% do total de gastos, mas ressalta que o parecer técnico aponta que as inconsistências encontradas não comprometem a prestação de contas da campanha.

A avaliação das contas de Bolsonaro e seu vice, general Hamilton Mourão, será feita pelo plenário do TSE no dia 4 de dezembro. A aprovação com ressalvas não inviabilizaria as contas da chapa de Bolsonaro.

    Access log