Eleições 2018
Brasil Candidatos e redes sociais criticam Bolsonaro por simular arma em foto

Candidatos e redes sociais criticam Bolsonaro por simular arma em foto

Atitude de presidenciável foi criticada após divulgação de uma imagem para mostrar evolução do candidato. Filho rebateu declaração de Boulos

Bolsonaro

Bolsonaro sentou pela 1ª vez após ser esfaqueado

Bolsonaro sentou pela 1ª vez após ser esfaqueado

Reprodução/Twitter

Usuários de redes sociais comentaram e criticaram neste sábado (8) a foto em o candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, aparece fazendo o sinal de arma com as mãos, logo após ser vítima de uma ataque a faca em Juiz de Fora (MG) na quinta.

A imagem foi postada por Flávio Bolsonaro, filho do presidenciável, para mostrar a evolução de Bolsonaro, que sentou pela primeira vez após ser esfaqueado.

"Se o Bolsonaro depois da facada adotasse uma postura moderada, se fazendo de vítima, herdaria uma quantidade gigante de votos. Mas, graças a Deus, ele é um idiota e já está tirando foto com sinal de arma", escreveu um internauta.

Bolsonaro só pode receber visita da mulher e dos filhos, diz hospital

O ato também foi relacionado a comemorações esportivas com o gesto. “Quem comemora gol assim é punido pela organização que comanda o campeonato. Portanto, é óbvio que é incentivo à violência. Bolsonaro é uma pessoa pública, tem que ter mais consciência em suas atitudes”, avaliou um tweet.

"Bolsonaro faz gesto de arma de fogo com as mãos mesmo esfaqueado", criticou outro.

O ex-ministro Alexandre Padilha disse torcer pela recuperação do candidato e para que Bolsonaro “abandone a incitação à violência”. “Como médico, vi várias vezes meus pacientes mudarem de atitude após um evento traumático. Esses não são os sinais de uma mudança”, avaliou ao compartilhar a foto.

Presidenciáveis

Entre os presidenciáveis, Marina Silva (Rede) repudiou o uso irrestrito de armas de fogo sem mencionar a foto de Bolsonaro. “O que vai nos defender contra a violência não é uma arma na mão. É o amor e o respeito uns pelos outros dentro do coração, independentemente de cor raça e ideologia.”

Pelo Twitter, Guilherme Boulos (PSOL) também condenou o ato do candidato. "É lamentável que logo após ter sido vítima da violência, Bolsonaro siga estimulando mais violência. A saída para o Brasil não é com tiros e intolerância" criticou.

A manifestação de Boulos foi rapidamente respondida por Flávio Bolsonaro. "Lamentável você querer aparecer num[a] situação dessas. Já que não respeita nem a propriedade privada do[s] outros, respeite ao menos nossa convalescença", rebateu o filho de Bolsonaro.

Ataque a Bolsonaro freia tom agressivo nas campanhas