Brasil Carreata na Avenida Paulista de apoio a Bolsonaro pede 'Fora Doria'

Carreata na Avenida Paulista de apoio a Bolsonaro pede 'Fora Doria'

Saída do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e fim do isolamento social para todos também estavam na pauta de reivindicações

Agência Estado - Política
Ato pedindo saída de João Dória do governo de SP reuniu multidão na avenida Paulista

Ato pedindo saída de João Dória do governo de SP reuniu multidão na avenida Paulista

BRUNO ROCHA/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO - 19.04.2020

Pelo segundo dia consecutivo, o domingo (19) foi de manifestação de apoio ao presidente Jair Bolsonaro na Avenida Paulista e no bairro dos Jardins. Inicialmente convocados como carreatas, os atos também reuniram pessoas a pé, com concentração em frente à Fiesp. O presidente participou de ato semelhante em Brasília no início desta tarde.

Nos dois dias as demonstrações partiram do Ginásio do Ibirapuera. Apesar de imagens das convocações frisarem a saída do governador João Doria, nas redes e nos adesivos e faixas as pautas eram muitas, com críticas a veículos de imprensa e ao Supremo Tribunal Federal. O ato deste domingo chegou a fechar uma das pistas da avenida.

Tomé Abduch, porta-voz do movimento Nas Ruas, ligado à deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), convidou ao longo da semana para a carreata deste domingo e o movimento pedia para que as pessoas não saíssem dos carros.

"As nossas pautas serão 'Fora Rodrigo Maia', que ninguém mais suporta esse homem governando nosso país, 'o isolamento vertical responsável' e também a 'PL 149 não' que pode destruir o nosso país e dar para os governadores de todos os Estados um dinheiro gigantesco sem qualquer contrapartida", disse Tomé, em vídeo postado nesta manhã.

O "isolamento vertical" é o isolamento social apenas dos que estão no grupo de risco à exposição ao vírus, como maiores de 60 anos e portadores de doenças crônicas. A teoria é defendida por Jair Bolsonaro.

O PL 149 foi aprovado nesta segunda-feira (13) pela Câmara dos Deputados. Quanto ao projeto que estabelece auxílio financeiro a Estados e municípios durante seis meses pela perda das receitas com arrecadação de impostos por causa da pandemia do novo coronavírus, o Senado resolveu dar prioridade a um projeto próprio para poder dar a palavra final sobre a medida.

A página do Movimento Avança Brasil, movimento bolsonarista com maior número de seguidores, além do "Fora Doria", pedia a saída do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, e dos presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre. A página transmitiu imagens dos atos dos dois dias.

No sábado, o ato que foi até a noite, chegou a colocar um carro de som na Avenida Paulista. Também ocorreram atos semelhantes em outras capitais, como Rio de Janeiro, Salvador e Manaus. A carreata deste domingo em Ribeirão Preto (SP) foi proibida por um juiz, a pedido do Ministério Público Estadual.

Últimas