STF

Brasil Celso de Mello decide assistir vídeo de reunião citada por Moro à PF

Celso de Mello decide assistir vídeo de reunião citada por Moro à PF

Ministro do STF afirma que vai analisa a reunião ministerial na próxima segunda-feira (18) para decidir sobre a quebra de sigilo da gravação

  • Brasil | Clébio Cavagnolle, da Record TV

Celso de Mello é relator do inquérito na Suprema Corte

Celso de Mello é relator do inquérito na Suprema Corte

Nelson Jr./SCO/STF

O ministro Celso de Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), irá examinar pessoalmente os registros audiovisuais da reunião ocorrida no Palácio do Planalto no dia 22 de abril, encontro no qual o ex-ministro Sérgio Moro alega ter sido pressionado pelo presidente Jair Bolsonaro.

A decisão foi tomada para que ele possa decidir se o vídeo da reunião ministerial poderá ser divulgado na íntegra.

"Sem o conhecimento do conteúdo do vídeo, o ministro alega que não terá condições de avaliar os argumentos apresentados pelo advogado-geral da União, pelo procurador-geral da República e pelos advogados do Moro", diz nota emitida pelo gabinete de Celso de Mello.

'Não posso ser surpreendido com notícias', disse Bolsonaro em reunião

Celso de Mello afirma que já tem uma visão geral do teor da reunião, a partir do relato feito pelo juiz federal auxiliar Hugo Sinvaldo Silva da Gama Filho, mais ainda precisa de mais detalhes para chegar a uma conclusão a respeito do sigilo da gravação.

Relator do inquérito na Suprema Corte, o ministro deverá assistir ao vídeo na próxima segunda-feira (18). e afirma que somente então terá condições de elaborar sua decisão sobre o levantamento, total ou parcial, do sigilo por ele temporariamente imposto.

Últimas