Cinegrafista da RIC TV, afiliada da Record TV, é agredido em protesto

Profissional foi atacado por manifestante contra Sergio Moro após chegada do ex-ministro para depor na Polícia Federal, em Curitiba (PR), neste sábado (2)

Manifestante contra Moro ataca cinegrafista em frente à sede da PF, em Curitiba

Manifestante contra Moro ataca cinegrafista em frente à sede da PF, em Curitiba

Reprodução/Record TV

O cinegrafista Robson William da Silva, de 36 anos, funcionário da RIC TV, afiliada da Record TV, foi atacado, neste sábado (2), por um manifestante contrário ao ex-ministro Sergio Moro, que presta depoimento na sede da Polícia Federal, em Curitiba. O agressor foi contido por outros profissionais de imprensa e afastado pela Polícia Militar, que fazia a segurança do local.

Leia também: TRF3 suspende ordem para que a AGU entregue exames de Bolsonaro

"A gente estava preparado com o link [entrada ao vivo] para a Record. Apareceu um senhor falando 'sai fora, Globo Lixo'. A gente disse que era da Record. O cara passava com a bandeira [do Brasil] na frente da lente da câmera. Ele voltou, tentou dar com a bandeira na minha cara. Eu segurei a bandeira e ele, com a outra mão, empurrou a câmera. Eu segurei a câmera e empurrei ele para se afastar. Nessa, ele voltou e empurrou a câmera forte, para cair. Segurei, os outros cinegrafistas e repórteres afastaram o cara. Daí veio a polícia e colocou o cordão de isolamento na área", contou Róbson.

Robson disse que não sofreu ferimentos e que o seu equipamento de trabalho também não foi danificado. O manifestante deixou o local sem fazer outras ameaças e o cinegrafista não registrou boletim de ocorrência.

O agressor participava de protestos de pessoas em frente ao prédio da PF na capital paranaense. Um grupo defendia o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, enquanto outra parte se posicionava a favor do presidente da República, Jair Bolsonaro.