A Prisão de Lula
Brasil Clima tranquilo marca manhã no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC

Clima tranquilo marca manhã no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC

Ex-presidente Lula passou a noite no prédio em São Bernardo do Campo e acenou para os manifestantes

Prisão de Lula

Apoiadores de Lula se reúnem no sindicato

Apoiadores de Lula se reúnem no sindicato

André Avelar/R7

Depois de uma madrugada tumultuada, a manhã desta sexta-feira (6) foi tranquila na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva passou a noite no prédio em São Bernardo do Campo e acenou para os manifestantes.

Ao longo da manhã, lideranças políticas e de movimentos sociais chegavam a todo instante ao prédio no ABC paulista para prestar apoio a Lula. Um carro de som está no local, mas apenas algumas palavras de ordem eram proferidas por pequenos grupos de manifestantes.

“Lula inocente. Lula presidente”, é o principal grito proferido pelos manifestantes.

Apoiadores do presidente dormiram em um cercado de dez barracas improvisadas ao redor do prédio do sindicato. A Guarda Civil e a Polícia Militar estão no local.

A expectativa é de que haja um pronunciamento do ex-presidente no começo da tarde. A assessoria de imprensa do partido não confirma a informação.

Assim que foi expedido o pedido de prisão, o advogado Adinaldo Martins entrou com um pedido de habeas corpus para garantir que Lula aguarde em liberdade até o STF analisar duas ADCs. A presidente da corte, Cármen Lúcia, resiste a levar as ações para julgamento. O ministro Marco Aurélio Mello é quem vai analisar os pedidos.

Resistência à prisão de Lula

O senador Lindberg Farias afirma que pedido de prisão de Moro "beira a provocação". 

— A defesa do presidente Lula tinha até terça-feira para entrar com os recursos. Passaram por cima. Na nossa avaliação, é ilegal.

Farias diz que apoiadores de Lula esperam muitas pessoas no Sindicato e que o povo "não vai deixar Lula só". 

— No decreto de prisão, ele [Moro] ofereceu uma alternativa que era Lula se apresentar lá [PF]. Essa alternativa não nos interessa. Se eles querem prender o Lula, eles têm que vir aqui, na frente do povo. Pela segunda vez, invadir o Sindicato dos Metalúrgicos. 

O senador afirma que haverá resistência e que será pacífica.