Eleições 2018
Brasil Coordenador de campanha de Jair Bolsonaro aponta 'crime político'

Coordenador de campanha de Jair Bolsonaro aponta 'crime político'

Delegado Francischini disse que vai entrar com representação na Polícia Federal para que seja investigada possibilidade de atentado em Juiz de Fora

Ataque Bolsonaro

Bolsonaro foi esfaqueado em ato de campanha em MG

Bolsonaro foi esfaqueado em ato de campanha em MG

FÁBIO MOTTA/ESTADÃO CONTEÚDO - 06.09.2018

Coordenador político da campanha de Jair Bolsonaro (PSL), o deputado federal Delegado Francischini (PSL-PR) disse que vai entrar com representação na Polícia Federal para que seja investigada a possibilidade de o atentado contra o candidato do PSL ser um "crime político".

"Queremos saber se tem um autor intelectual (do atentado). Para nós é um crime político, ele (autor da agressão) foi filiado ao PSOL. Queremos saber se tem alguém acima desse cara, alguém que o induziu", disse.

Francischini disse que Bolsonaro "vinha falando sempre" sobre a possibilidade de ser atacado por alguém contrário à sua candidatura e, por isso, ele usava colete de proteção frequentemente. Na agenda desta quinta-feira em Juiz de Fora (MG), no entanto, Bolsonaro não usou o colete por conta do calor que fazia na cidade.

Bolsonaro passa por cirurgia após ataque a faca em Minas Gerais

Flávio Bolsonaro: tentaram dar uma 'facada no coração do meu pai'

Veja faca que teria sido utilizada para atacar Bolsonaro em Minas

"Ele (Bolsonaro) estava tranquilo, estava muito feliz. Falei com ele hoje pela manhã. A gente não esperava um cara infiltrado para matar ele. O cara (autor do ataque) tentou acertar o coração, mas o segurança desvio o braço dele", afirmou Francischini.

    Access log