CPI da Covid

Brasil CPI aprova reunião com Witzel e convoca Google, Facebook e Twitter

CPI aprova reunião com Witzel e convoca Google, Facebook e Twitter

Ex-governador do Rio afirmou à comissão que tem informações importantes, mas só as passará em um encontro secreto

  • Brasil | Do R7

Witzel foi ouvido na CPI na semana passada

Witzel foi ouvido na CPI na semana passada

Edilson Rodrigues/Agência Senado - 16.06.2021

A CPI da Covid aprovou nesta quarta-feira (23) a convocação de representantes das companhias Google, Facebook e Twitter e a marcação de uma reunião secreta com o ex-governador do Rio, Wilson Witzel.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), autor das solicitações de convocação às empresas, considera que as empresas estão sendo coniventes com discursos negacionistas que acabam prejudicando o combate à pandemia de covid-19 no país.

A reunião secreta de Witzel foi um pedido de Randolfe após Witzel dizer na CPI que tinha informações importantes para passar, mas, pela gravidade do que tinha para falar, precisava passá-las em reunião fechada.

Depoimento adiado

A CPI ouviria nesta quarta-feira o proprietário da Precisa, Francisco Maximiano. A empresa é a importadora da vacina indiana Covaxin.

A Precisa, no entanto, alegou que ele não poderia ir à CPI porque estaria em quarentena após viagem recente à Índia.

A Procuradoria da República abriu uma investigação preliminar para avaliar se houve crime no contrato firmado entre o Ministério da Saúde e a Precisa. O órgão aponta risco temerário no acerto firmado.

Últimas