Brasil 'CPI da Covid' contra governo divide opiniões sobre o STF. Veja reações

'CPI da Covid' contra governo divide opiniões sobre o STF. Veja reações

Ministro do STF, Luís Barroso, determinou que Senado investigue omissões do governo Bolsonaro no combate à pandemia

  • Brasil | Do R7

Ministro atendeu a pedidos de senadores contra demora de Pacheco para instalar CPI

Ministro atendeu a pedidos de senadores contra demora de Pacheco para instalar CPI

José Cruz/Agência Brasil - 03.08.2018

A determinação do ministro do STF, Luís Barroso, nesta quinta-feira (8) para que o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) instale a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar ações e omissões do governo federal no combate à pandemia de covid-19 dividiu opiniões sobre a interferência do Supremo no Legislativo.

Enquanto parlamentares do governo voltaram a pedir pelo impeachment de alguns dos ministros, deputados e senadores de oposição e do centro aplaudiram a decisão de Barroso, que atendeu o pedido feito pelos senadores Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Jorge Kajuru (Cidadania-GO).

Eles questionavam a demora de Pacheco em avaliar o requerimento pela investigação, apresentado há 64 dias, no início de fevereiro, e que já tinha as assinaturas suficientes para ser instalado. Em entrevista, o presidente do Senado afirmou que acatará a determinação, mas considerou a decisão "equivocada". Para ele, a CPI pode gerar instabilidade política no Brasil, principalmente para contratar vacina e insumos, e deve virar palanque para as eleições de 2022.

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) criticou a interferência e relembrou, de forma indireta, a prisão do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), que foi determinada pelo Supremo e mantida pela Câmara dos Deputados.

Já o deputado Alessandro Molon (PSB-RJ) elogiou a abertura da CPI. "A decisão é acertada e importantíssima para os brasileiros, que aguardam respostas sobre a péssima condução da pandemia no Brasil".

Ele foi acompanhado inclusive pelo ex-ministro da Saúde do governo Jair Bolsonaro, Henrique Mandetta. "A sociedade é quem ganha com a CPI da Covid. Precisamos esclarecer os atos praticados e as consequências tão penosas para os brasileiros", disse.

Entre os críticos, o deputado Marco Feliciano também relembrou de outra decisão do STF, estabelecida nesta quinta no julgamento que reafirmou o poder de estados e municípios a decretarem medidas restritivas contra a covid-19, inclusive fechar igrejas.

"O ministro Luís Roberto Barroso acaba de determinar que o presidente do Senado instaure a CPI da Covid. Depois de perseguir religiosos, agora coloca o Parlamento de joelhos. Ontem eu avisei que o Leviatã é insaciável!", reclamou.

Últimas