CPI da Covid

Brasil CPI da Covid ouve auditor que contestou mortes por covid; assista

CPI da Covid ouve auditor que contestou mortes por covid; assista

Servidor do TCU Alexandre Marques disse em investigação do órgão que estudo foi alterado após chegar às mãos de Bolsonaro

Marques diz que documento foi alterado

Marques diz que documento foi alterado

Reprodução Twitter

A CPI da Covid ouve nesta terça-feira (17) o auditor do TCU (Tribunal de Contas da União) Alexandre Figueiredo Costa Silva Marques, responsável por um suposto estudo que indicaria supernotificação de mortes por covid-19 no ano passado.

O tal estudo foi usado pelo presidente Jair Bolsonaro em junho em conversa com apoiadores em Brasília. Segundo ele, estaria provado que somente 50% das mortes haviam ocorrido por causa da infecção pelo coronavírus.

Pouco depois o presidente teve que admitir que não era um estudo do TCU, mas sim apontamentos de um de seus auditores. Mesmo assim, o presidente continuou repetindo que havia dúvidas sobre a veracidade do diagnóstico de covid em muitos dos óbitos registrados no país.

O TCU desmentiu imediatamente que tenha produzido o documento, indicando que o texto seria uma análise pessoas de Alexandre Marques. O servidor foi afastado do cargo por 60 dias.

Marques prestou depoimento em julho à comissão constituída no TCU para investigar a conduta do servidor no caso. Na ocasião, ele teria afirmado que o documento foi alterado após o envio a Bolsonaro. O servidor esclareceu também que enviou os apontamentos a seu pai, que acabou encaminhando o texto ao presidente Bolsonaro, seu amigo.

A convocação do auditor Alexandre Marques foi sugerida pelos senadores Humberto Costa (PT-PE) e Alessandro Vieira (Cidadania-SE). 

Últimas