CPI da Covid

Brasil CPI da Covid vota convocação de Google, Facebook e Twitter; assista 

CPI da Covid vota convocação de Google, Facebook e Twitter; assista 

Hoje estava previsto depoimento de dono da Precisa, responsável pela negociação da vacina Covaxin, mas empresa desmarcou 

  • Brasil | Do R7

Randolfe quer cobrar punições a negacionistas

Randolfe quer cobrar punições a negacionistas

Edilson Rodrigues/Agência Senado - 22.06.2021

Com o adiamento da oitiva do representante da Precisa, empresa que intermediou a negociação da vacina indiana Covaxin com o Brasil, a CPI da Covid se reúne nesta quarta-feira (23) para analisar mais de 50 requerimentos. Entre eles, o da convocação para esclarecimentos de representes das companhias Google, Facebook e Twitter.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), autor das convocações, considera que as empresas estão sendo coniventes com discursos negacionistas que acabam prejudicando o combate à pandemia de covid-19 no país.

A Precisa informou na terça-feira (22) que seu representante, Francisco Maximiano, proprietário da importadora, não poderia comparecer à CPI nesta quarta. Ele estaria em quarentena após viagem recente à Índia.

A empresa deveria esclarecer aos senadores detalhes do contrato firmado com o Brasil para a aquisição de lotes da Covaxin.

A Procuradoria da República abriu uma investigação preliminar para avaliar se houve crime no contrato firmado entre o Ministério da Saúde e a Precisa. O órgão aponta risco temerário no acerto firmado.

Últimas