CPI da Covid

Brasil CPI ouve irmãos Miranda sobre denúncia na compra da Covaxin

CPI ouve irmãos Miranda sobre denúncia na compra da Covaxin

O servidor Ricardo Miranda disse ter recebido pressões para acelerar processo e deputado afirmou ter avisado o presidente

O servidor Ricardo Miranda e o deputado federal Luís Miranda

O servidor Ricardo Miranda e o deputado federal Luís Miranda

Reprodução/Twitter

A CPI da Covid do Senado vai ouvir nesta sexta-feira (25), às 14h, os depoimentos de Ricardo Miranda, servidor do Ministério da Saúde, e de seu irmão, o deputado federal Luís Miranda (DEM-DF). Eles denunciaram possíveis irregularidades na compra da vacina indiana Covaxin pelo governo federal.

Leia também: Entenda as suspeitas relacionadas à compra da vacina Covaxin

Ricardo Miranda é chefe de importação do Departamento de Logística do Ministério da Saúde. Ele relatou ao Ministério Público Federal e à imprensa ter recebido pressões para acelerar o processo de compra da Covaxin, da empresa indiana Bharat Biotech. A negociação está sob suspeita em razão do valor unitário das vacinas, considerado elevado, em torno de R$ 80, e da participação de uma empresa intermediária, a Precisa Medicamentos.

Já o deputado Luís Miranda disse na quarta-feira (23) ter alertado o presidente Jair Bolsonaro sobre as suspeitas e tornou públicas as denúncias, com vazamento de prints de conversas, documentos e áudios.

O governo federal nega qualquer irregularidade na compra do imunizante e acusa os irmãos de mentir e de fraudar documentos. Ao rebater as suspeitas de corrupção, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, afirmou que o documento apresentado por Miranda pode ter sido "forjado" e que enviaria para a Polícia Federal periciar.

A cúpula da CPI da Covid pretende aprofundar nas investigações sobre as negociações envolvendo a compra da vacina indiana. O requerimento convocando os depoentes foi do relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL).

Últimas