CPI da Covid

Brasil CPI ouve técnico do Ministério da Saúde sobre a Covaxin; assista

CPI ouve técnico do Ministério da Saúde sobre a Covaxin; assista

Willian Santana, da área de Importação, foi citado por fiscal Regina Célia em depoimento à comissão nesta semana

Servidor pode esclarecer negociação sobre Covaxin

Servidor pode esclarecer negociação sobre Covaxin

Adnan Abidi/Reuters- 16/01/2021

A CPI da Covid, do Senado Federal, ouve nesta sexta-feira (9) o servidor do Ministério da Saúde Willian Amorim Santana. O depoente, técnico da divisão de Importação, pode esclarecer detalhes sobre a compra da vacina Covaxin.

Willian Santana teve o nome citado na CPI pela fiscal de contratos da pasta Regina Célia Oliveira na terça-feira (6). Ele teria sido o responsável por avisar a Precisa - representante da Bharat Biotech no Brasil - que as invoices (faturas para negociações internacionais) estavam com irregularidades.

A testemunha é subordinada a Luis Ricardo Miranda, autor das denúncias de irregularidades no contrato de aquisição do imunizantes e que já depôs à comissão. Ele disse que sofreu "pressão anormal" de superiores para aprovação rápida da importação.

A Covaxin, produzida pelo laboratório indiano Bharat Biotech, é a vacina mais cara entre as negociadas pelo governo federal. O contrato de R$ 1,6 bilhão para 20 milhões de doses é investigado pela comissão e pelo MPF (Ministério Público Federal) por supostas irregularidades. A compra foi suspensa pelo governo em junho.

A convocação de Willian Amorim Santana acontece a pedido do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). 

Últimas