CPI da Covid

Brasil CPI: Terra diz que usou cloroquina e que 'tomaria de novo' contra covid

CPI: Terra diz que usou cloroquina e que 'tomaria de novo' contra covid

Ex-ministro da Cidadania, porém, chegou a ser internado em uma UTI quando contraiu a doença em novembro do ano passado

Agência Estado
Medicamentos do "kit covid" não têm eficácia comprovada contra o novo coronavírus

Medicamentos do "kit covid" não têm eficácia comprovada contra o novo coronavírus

Edilson Rodrigues/Agência Senado - 22.06.2021

O deputado Osmar Terra (MDB-RS), apontado como um dos principais influenciadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na pandemia de covid-19, reafirmou que, mesmo hoje, faria o uso de medicamentos sem a eficácia comprovada para tratar a covid-19. "Eu tomei, tomaria de novo se precisasse, se tivesse a doença, porque não tinha nada para fazer a não ser ficar esperando e tomar dipirona", declarou ele nesta terça-feira a senadores da CPI da Covid.

O deputado, que voltou a defender o uso dos medicamentos, argumentou que diversos fármacos têm bulas que preveem efeitos colaterais com "tragédias enormes". Contudo, os medicamentos defendidos pelo parlamentar para o tratamento da covid não são indicados contra doença. Com relação a isso, Osmar voltou a defender o uso "off-label", fora da bula, do medicamento, sob o argumento de que o médico deve ter autonomia para prescrever tratamentos.

O presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), rebateu a defesa de Terra aos fármacos, afirmando que eles não haviam lhe ajudado. Aziz apontou que o parlamentar precisou ser internado em uma UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em decorrência da doença. "A cloroquina não lhe ajudou muito não, o que lhe ajudou foi o bom hospital que o senhor tinha e os bons médicos que estavam te atendendo", declarou Aziz.

O ex-ministro da Cidadania do governo Bolsonaro presta, nesta terça-feira, seu depoimento à CPI. Osmar Terra é um dos membros do governo que tem patrocinado, nas redes sociais, projeções que diminuem o impacto do novo coronavírus e fomentado, entre apoiadores do presidente, teorias sem comprovação científica que estimulam o contágio.

Últimas