CPI da Covid

Brasil Davati recua e diz que denunciante negociou vacinas com governo

Davati recua e diz que denunciante negociou vacinas com governo

Empresa contradiz seu primeiro posicionamento sobre Luiz Paulo Domiguetti, que denunciou pedido de comissão por doses

  • Brasil | Do R7

Luiz Paulo Dominguetti Pereira na CPI da Covid

Luiz Paulo Dominguetti Pereira na CPI da Covid

Edilson Rodrigues/Agência Senado - 01.07.2021

A Davati Medical Supply admitiu que Luiz Paulo Dominguetti Pereira intermediou a negociação da empresa com o governo brasileiro por vacinas. Ele afirmou ao jornal "Folha de S. Paulo" que recebeu suposto pedido de propina de US$ 1 para fechar contrato com o Ministério da Saúde. Em razão da denúncia, foi chamado para depor na CPI da Covid nesta quinta-feira (1º)

A empresa do ramo farmacêutico afirmou, porém, que se trata de um “vendedor autônomo” sem vínculo empregatício.

A informação sobre a participação do vendedor na negociação é diferente da primeira divulgada pela Davati na quarta-feira (30), quando disse que Dominguetti não era seu representante no Brasil e que desconhecia qualquer discussão entre o vendedor e o governo brasileiro.

Na nova nota divulgada à imprensa, a companhia norte-americana disse que seu representante no Brasil é Christiano Alberto Carvalho. Sobre Dominguetti, a empresa afirmou que "ele apenas intermediou a negociação da empresa com o governo, apresentando o senhor Roberto Dias". Este era servidor do Ministério da Saúde e foi demitido.

A Davati informou ainda que "não tem conhecimento" sobre o pedido de comissão para o fechamento do contrato. 

Últimas