CPI da Covid

Brasil Depoente da CPI da Covid diz que queria indiciar senador Omar Aziz

Depoente da CPI da Covid diz que queria indiciar senador Omar Aziz

Deputado estadual Fausto Junior foi relator de uma comissão montada no Amazonas para apurar falhas na Saúde desde 2011

  • Brasil | Do R7

Fausto Junior atacou senador Omar Aziz

Fausto Junior atacou senador Omar Aziz

Pedro França/Agência Senado - 29.06.2021

O deputado estadual do Amazonas Fausto Vieira dos Santos Junior (MDB) afirmou na CPI da Covid desta terça-feira (29) que a comissão que relatou em 2020 na Assembleia Legislativo de seu estado deveria ter indiciado todos os governadores desde 2011, incluindo Omar Aziz (PSD-AM).

Omar Aziz, presidente da CPI da Covid, foi governador do Amazonas de 2010 a 2014.

O ataque ao senador ocorreu após a insistência dos parlamentares para que ele explicasse por que não indiciou em seu relatório final da CPI de seu estado, entregue em setembro de 2020, o atual governador Wilson Lima (PSD).

"Eu acho que todos os governadores desde 2011 deveriam ser indiciados, incluindo Omar Aziz", comentou, esquentando a sessão desta terça.

O senador pediu então para ele explicar o que tinha encontrado de irregularidade em 2011.

Segundo Fausto Junior, Aziz gastou R$ 50 milhões em 2014 apenas com verbas indenizatórias.

"E isso é um gravíssimo crime?", questionou Aziz.

Fausto, nitidamente nervoso, falou que considerava a atitude legal, mas condenável.

"Não há crime", devolveu o presidente da comissão. "Vossa excelência teve a oportunidade de investigar esses pagamentos indenizatórios, mas não fez. Você colocou em seu relatório apenas os números, sem concluir nada."

Logo em seguida, o deputado estadual falou que Aziz estava ameaçando prendê-lo por ter feito a acusação.

O clima esquentou também entre os senadores Aziz e Eduardo Braga (MDB-AM), que, segundo o presidente da CPI, estaria ajudando Fausto Junior nas respostas.

Segundo o balanço feito por Fausto Junior, a CPI da Saúde no Amazonas fez 50 pedidos de indiciamento, com 14 pessoas presas em decorrência das apurações feitas pelos deputados. "Detectamos mais de 17 crimes" ao visitar hospitais do estado, contou.

O deputado afirmou que, apesar de o Amazonas ser um dos estados que mais investe em Saúde, erros de gestão comprometem todo o sistema.

Requerimentos

O presidente da comissão abriu a sessão desta terça adiando a votação de requerimentos que estavam previstos para amanhã, quarta-feira (30).

Entre eles está o de convocação do líder do governo na Câmara, deputado federal Ricardo Barros (PP-PR). Ele teria sido citado pelo presidente Jair Bolsonaro como a pessoa que deveria estar por trás de irregularidades no contrato de compra da vacina Covaxin.

Últimas