Brasil Depois de semana de atritos, Mourão sai em defesa de Bolsonaro

Depois de semana de atritos, Mourão sai em defesa de Bolsonaro

Vice fez um agrado ao chefe ao postar que 'não há motivação para a aceitação de pedido de impeachment do nosso presidente'

  • Brasil | Do R7

Presidente Jair Bolsonaro e o vice, Hamilton Mourão, durante cerimônia na Base Aérea em Brasília

Presidente Jair Bolsonaro e o vice, Hamilton Mourão, durante cerimônia na Base Aérea em Brasília

WALLACE MARTINS/ESTADÃO CONTEÚDO - 20.01/.021

O vice-presidente, Hamilton Mourão, fez um agrado ao chefe do Executivo, Jair Bolsonaro, ao escrever, nas redes sociais, que não há motivos para a aceitação do impeachment do presidente.

"Como Vice-Presidente, afirmo que não há nenhuma motivação para a aceitação de pedido de impeachment do nosso PR @jairbolsonaro, o qual tem trabalhado incansavelmente para superar os desafios que o século XXI impõe ao Brasil", postou.

O agrado ocorre após uma semana tensa entre Mourão e Bolsonaro. Ao abordar publicamente o desempenho do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, o presidente se irritou, negou a intenção de demiti-lo e se referiu ao general da reserva do Exército de "palpiteiro".

"O vice falou que eu estou para trocar o chefe do Itamaraty. [...] O que nós menos precisamos é de palpiteiros do tocante a formação do meu ministério. E deixo bem claro: todos os meus 23 ministros eu que escolho e mais ninguém e ponto final. Se alguém quiser escolher, que se candidate em 2022 e boa sorte em 2023", disse ele a apoiadores no Palácio da Alvorada na última quinta-feira.

Mas o episódio que azedou de vez a já tumultuada relação entre os presidente e o vice ocorreu após o site Antagonista ter publicado que o chefe da assessoria parlamentar de Mourão enviou mensagens ao gabinete de um deputado federal falando sobre as articulações em curso no Congresso para um eventual impeachment de Bolsonaro.

O vice, assim que teve conhecimento da notícia, afirmou que o assessor agiu por conta própria e por isso seria demitido. A exoneração de Ricardo Roesch Morato Filho  ocorreu no último dia 29.

Leia também: Hamilton Mourão diz que faltou lealdade a assessor demitido

Ao hastear a bandeira branca, Mourão engrossa o coro daqueles que tentam demover o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de aceitar pedidos de impeachment contra Jair Bolsonaro.

Maia se irritou após o DEM ter desembarcado do bloco de apoio à candidatura do deputado Baleia Rossi (MDB-SP) à sucessão da Mesa Diretora, que ocorre hoje. 

O presidente da Câmara apoia Rossi, que vem derretendo nas intenções de votos dos colegas. Arhtur Lira (Progressistas-AL), que tem o apoio de Bolsonaro, deve levar a disputa.

Últimas