Desistência de Doria agita o Planalto

Auxiliares de Jair Bolsonaro avaliam como positivas as mudanças de cenário eleitoral para o presidente  e também para Tarcísio de Freitas que vai concorrer ao Governo de São Paulo

  • Brasil | Do R7

As mudanças no cenário político, possível desistência do governador de São Paulo, João Doria, em disputar as eleições presidenciais e Sergio Moro, no União Brasil (partido formado da fusão entre PSL e DEM) agitaram os bastidores no Palácio do Planalto. Mesmo com solenidade de despedida de ministros, o assunto foi comentado nas rodas de auxiliares de Jair Bolsonaro.

Tarcísio de Freitas seria beneficiado em São Paulo: desistência de Doria criaria um quadro mais complicado para Rodrigo Garcia

Tarcísio de Freitas seria beneficiado em São Paulo: desistência de Doria criaria um quadro mais complicado para Rodrigo Garcia

Alan Santos/PR - 02.09.2021

O Blog conversou com uma alta fonte do governo que avaliou o cenário como positivo, primeiro porque a decisão de João Doria, dificulta os planos de Rodrigo Garcia de chegar ao Governo de São Paulo. Ele contava ser governador nesse período eleitoral, mas o afastamento de João Doria não deve se concretizar.  Segundo esta fonte, "como governador, ele (Rodrigo Garcia) poderia incomodar. Agora ele tá perdido né, o Doria não vai sair. Datena (possível candidato ao Senado) também será prejudicado".

O entendimento dos bolsonaristas do governo é que o ministro de Infraestrutura que vai disputar o Governo de São Paulo, Tarcísio de Freitas, passa a ter mais chances na disputa eleitoral, "em termos nacionais ficou mais favorável para o presidente, é lógico, porque o Tarcísio (Tarcísio de Freitas) tendo chance de ganhar em São Paulo, é um palanque forte para o presidente."

A ida de Sergio Moro, ex-juiz e ex-ministro da Justiça para o União Brasil, também foi alvo de comentários. Integrantes do Governo acreditam que ele pode disputar outro cargo e não a presidência da república, "ele (Moro) já viu que não adianta, polarizou entre o presidente e o ladrão, o ex-presidente Lula. Não tem terceira via."

Últimas