Brasil Dilma e Alckmin anunciam parceria para construir Centro Paraolímpico em São Paulo

Dilma e Alckmin anunciam parceria para construir Centro Paraolímpico em São Paulo

Obra conjunta dos governos federal e estadual custará R$ 440 milhões e ficará pronta em 2015

Dilma e Alckmin anunciam parceria para construir Centro Paraolímpico em São Paulo

Além de Dilma e Alckmin, encontro em SP reuniu o vice-presidente da República, Michel Temer, e ministro do Esporte, Aldo Rebelo

Além de Dilma e Alckmin, encontro em SP reuniu o vice-presidente da República, Michel Temer, e ministro do Esporte, Aldo Rebelo

Daia Oliver/R7

A presidente Dilma Rousseff e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciaram a construção do Centro Paraolímpico Brasileiro no Estado. A previsão é de que o projeto custe cerca de R$ 440 milhões e seja concluído até o final de 2015.  

O espaço terá capacidade para abrigar 14 modalidades de esportes: atletismo, basquete em cadeira de rodas, bocha, natação, esgrima, futebol de cinco, futebol de sete, goalball, halterofilismo, judô, rúgbi, tênis, tênis de mesa e vôlei sentado.  

Dilma disse que a construção do centro serve para homenagear e apoiar a persistência e a força de vontade dos atletas paraolímpicos brasileiros.  

— Nossos atletas nos orgulham, e é fato que sabemos o quanto mais há que ter de esforço e dedicação por parte deles para que superem metas. É a eles que o Brasil devia esse apoio, para que eles pudessem conquistar mais vitórias e transformar tudo isso em conhecimento.  

Dos R$ 440 milhões estimados para a construção do centro, o governo do Estado de São Paulo investirá R$ 329 milhões em projetos, obras e na cessão da área onde será construído o centro. Em contrapartida, o governo federal, por meio do Ministério do Esporte, investirá R$ 110 milhões no local.  

Para o governador Geraldo Alckmin, a iniciativa reforça a importância da atuação conjunta entre as diferentes instâncias de governo.  

— É um centro de civismo, de respeito, de treinamento, de avanço da ciência e tecnologia. E um exemplo de boa parceria entre os entes federados. Nossas parcerias todas estão caminhando bem.  

A aproximação com projetos do governo federal faz parte da estratégia de Alckmin para tentar se reeleger governador em 2014. A ideia é mostrar que o governo estadual, em sua gestão, superou diferenças partidárias e contribuiu de forma significativa em iniciativas exitosas.  

Dilma também elogiou a proximidade entre os governos, colocando o governo paulista na condição de protagonista do projeto. Durante seu discurso, a presidente não poupou elogios a Alckmin.  

A construção do centro faz parte do Plano Brasil Medalhas, que alavancar o País à condição de potência esportiva a partir dos Jogos Olímpicos e dos Jogos Paraolímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.  

Na Olimpíada de Londres, realizada no ano passado, o Brasil ficou na vigésima segunda posição geral, com um total de 17 medalhas. Já nas Paraolimpíadas, também disputadas na capital inglesa, o País teve um desempenho melhor. Nelas, a delegação brasileira conseguiu 43 medalhas, terminando os jogos na sétima posição. Foi a melhor classificação já obtida pelo Brasil na história da competição.  

A área de 94 mil m² servirá para treinamentos, competições e intercâmbio de atletas e seleções. Haverá espaço ainda para preparação física, cursos para técnicos, árbitros, gestores e outros profissionais; e desenvolvimento das ciências do esporte.  

Sua estrutura contará com quatro ginásios, dois campos de futebol, quadras de tênis, pista de atletismo, centro de medicina e ciências do esporte, academia, alojamentos, refeitório, vestiários, auditórios, entre outros.